Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sensação de sonho

por R.Cheiros, em 02.12.08

Esta noite sonhei contigo.

Não me lembro do sonho, mas a sensação garante-me que sonhei e muito.

Acordei com uma moleza gostosa… uma preguiça de me levantar da cama… um arrepio nas costas como quando passas a tua mão ou quando segura o meu cabelo para me beijar…

Não me lembro do sonho, mas estas sensações garantem que sonhei contigo, só sinto isso contigo.
No meio desta preguiça olho para o lado e vejo-te deitado, beijo-te as  costas e sinto-te a espreguiçar, viras-te dás-me um beijo de bom dia.
Sorriste! E lá vem a pergunta parva: o que foi??

Podia aproveitar para te dizer. Mas não me lembro... só esta sensação..!!!  Mas se lembrasse era o dilema de te contar ou não..

Não me lembro do sonho, mas se me lembrasse era bem capaz de te contar e possivelmente nenhum dos dois hoje ia trabalhar..
Ainda bem que não me lembro do sonho, até porque precisamos de trabalhar, não é ?
 

A vida não é plenamente feliz, claro que não. Mas é nestes momentos que sinto que afinal são coisas tão pequeninas que me fazem tão feliz!

Aproveitem.. Hoje o dia está fantástico, não está?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:23


Se achares que isto é loucura!!!

por R.Cheiros, em 24.10.08

Se achares que isto é loucura, consideres que não sei o que estou a dizer. Se achares que isso é racional, consideres que exponho as  minhas ideias com clareza. Se pensares, que é um misto de devaneio com lucidez, consideras que mostro, traduzo os meus sentimentos, as minhas emoções, usando este “código” que estás a ler agora. A interpretação destas minhas anotações, dependerá exclusivamente do teu ponto de vista e estado psicológico. No final da leitura, pensarás que sou uma criatura perversa, pensarás que sou uma dissimulada, uma sonhadora, uma perturbada, uma feiticeira, uma... Sou apenas carne e osso, sou um alguém que sente o mundo.

 

   Há noites, em que rolo nos meus lençóis procuro respostas para as questões, que nem eu mesma sei quais são. Há dias, em que o lápis corre pelo papel e logo surgem páginas e páginas de suspiros e encantos, sonhos e pesadelos, delírios e realidades. Há tardes em que percorro as ruas e as montras  não me atraem, procuro alimentar o meu ego.  Quase invisível, eu ando pelas ruas  escuras e fundas, deparo-me com aquele mundo real, que as vezes me  assusta e deixa sem fôlego. Cambaleio rapidamente, como se vivesse uma fuga, uma fuga das minhas reais ideias.

 

   Mesmo que o vento sopre  fortemente, continuo a percorrer a estrada da vida. Folheio  livros, procuro  por sinais de minha existência, vendo a luz ali na esquina. A grande luz, que poderia brotar de minha mente e iluminar todo esse trajecto que ainda me resta. Sempre que tropeço, caio. Sempre que caio, levanto. Sempre que levanto, levo a lição da última queda. Sempre que me deito, durmo. Sempre que durmo, sonho. Sempre que sonho, acordo e levo aquele brilho das minhas utopias.

 

   Olho aquelas fotografias, lembranças de um passado que me fez quem sou e ficou lá trás.. Já não uso as mesmas roupas, o mesmo penteado, o mesmo batom. Mas espero o mesmo homem, com o mesmo desejo,a mesma música, a mesma dança. O fogo que queima na lareira, é o mesmo que queima dentro de mim, sempre queimou. Adormeço no sofá antigo, com almofadas de tecido felpudo, sinto o mesmo perfume, ouço a mesma voz, mas muitas vezes permaneço sozinha mesmo acompanhada

 

    Nunca choro. Chorar é admitir fraqueza. Prefiro sorrir, ainda que por vezes não existam motivos lógicos para isso. Costumo rir à toa, costumo recepcionar fantasmas na morada de minha alma ou de meu corpo. Frequentemente, abro as janelas de minha casa, para que o sol da manhã invada e leve um pouco destas minhas loucuras embora. Sempre funciona. Então, sento-me na  minha cadeira preferida, apanho meu diário, que na verdade, não seria bem um diário, mas sim, um caderno para dias lastimáveis, algo parece estar preso em minha garganta e não tenho a possibilidade de falar, por isso começo a escrever. A angústia vai embora, isso sempre funciona.

 

    Respiro profundamente, abro os braços e tento voar. Volto para a minha antiga infância, para aqueles velhos tempos em que matar o tempo, não era pecado.

 

    Vivo nesta nuance, entre eu e eu mesma , entre o sonho, que também os tenho e a realidade.. Vivo o  meu caminho intensamente, consigo fintar a monotonia, Espero-te com o meu melhor sorriso e amo-te incondicionalmente nunca tive duvidas.. para suprir a ausência de mim. Algumas vezes  finjo ser outra, mas para o meu interior só tu sabes o caminho.

 

 

Se achares que isto é loucura!!!

Hoje era o que te diria. 

(Para ti… que não sabes que este blogue existe.)

 

PS: Vai mudar a hora e deve ser isso que me está a afectar os neurónios

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:14


Hoje não estou para ninguem!!!

por R.Cheiros, em 25.02.08
Hoje não estou para ninguem!!!
Existem dias assim..

Sem razão, sem sentido, sem nada que nos anime ,sem vontade de reagir.. e nós aqui.

Hoje sinto a tua falta, como sempre sinto

Sinto saudades de mim, saudades de ti ,saudades de nós, da felicidade, do sorriso do nosso viver.

Temos defeitos... e isso o que importa...

Trocamos segredos ... e respeitamos as nossas divergências!

Até nas horas mais incertas sempre encontramos o ponto certo. sabemos o que queremos sem um ou outro pedir..

Fazemos porque nos sentimos felizes em fazer...amor e sexo .

Hoje mais do que nunca senti a tua falta

Falta dos nossos momentos

Falta do teu olhar ,dos meus olhos nos teus

Falta do teu corpo no meu corpo que se juntam por instinto ,um compreende o outro.

As mãos entrelaçadas as nossas bocas a respirar uma na outra..exalando o que sentem

Respirando de desejo sussurrando gemidos até chegarmos ao topo e morremos por instantes.

Saudades do amor, do tesão que nos vicia.

Hoje preciso de ti

Hoje não estou para ninguém !!!

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:31


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds