Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vá lá não custa nada... "passaapalavra"

por R.Cheiros, em 28.11.08

Existem centenas de desafios a circular  todos os dias pelos blogues. Selos de prémios que vamos passando e colocando apenas pelo gosto de fazer mais um post .

Hoje não vos vou colocar nenhum desafio muito menos oferecer algum premio .. Nem  tão pouco pedir comentários ….

Também não tenho por habito pedir seja o que for e muito menos me preocupar com comentários. 

Correcto ou não o contador que tenho no blogue em dez meses de vida já assinalou  um numero considerável de visitas o que quer dizer que alguem por aqui passa...
Então vou confessar que hoje tenho um pedido a fazer. Não  me atrevo a pedir  a todos.. mas a alguns dos que passam por aqui.

Não, não vos vou pedir um  comentário e também não é um desafio, nem um premio muito  menos uma corrente… É tão e simplesmente pedir que “passem a palavra”
Aqui divulgo sempre iniciativas onde estou envolvida ( e não só) sobre  o cancro da mama.

Mas hoje é um pouco mais em baixo..

Na Europa o cancro do colo do útero é a segunda causa de morte por carcinoma em mulheres entre os 15 e os 44 anos de idade.
Por dia morrem 40 mulheres, vítimas de cancro do colo do útero a vacinação e o  rastreio continua contudo a ser necessário
A muitas de nós já não pode ser aplicada a vacina que tem um limite de idade mas temos filhas sobrinhas, amigas, netas...
A vacina pode ser aplicada a partir dos nove anos.
Já fiz um post sobre este mesmo assunto em 13/03/08 aqui . Ontem depois de uma conversa com uma amiga “ da especialidade “ fiquei arrepiada com o numero de vitimas e o desconhecimento que a maioria das  mulher de modo  geral tem sobre o assunto.
Muito bem, aqui vai o pedido
Porque sou mulher
Porque todas fazemos falta e porque o cancro do colo do útero pode afectar qualquer mulher..
O pedido é o seguinte:  A  quem passar pelo meu blogue, não que comente porque isso não me interessa nada mas que leve este selo  o coloque no próprio blogue e
"passaapalavra"

 

 

 

http://www.passaapalavra.com/


Para colocar qual duvida que seja: 
passaapalavra.dr@gmail.com

Claro que não vou passar a ninguém até porque isto não é um desafio mas um pedido.

Por razões diferentes mas porque são três mulheres que gosto de ler e que "admiro" por motivos diferentes mas que me agradam. A estas três vou pedir directamente que coloquem o selo no vosso blogue.

Isabel :coisasdocoracao
Mel :pingodemel
Infiel :Infiel

Este pedido é para mulheres e homens, vá lá atrevam-se... Não custa nada e ajuda a passar a informação.
E tenham um bom fim-de-semana

PS: Acreditem que vale a pena
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:55

 

Ai a minha vida tem sido uma coisa estranha, sem tempo nem energia. Ele é a crise o pessimismo geral desconfiança no futuro. Que nem sei bem como ainda estou lúcida o suficiente para estar aqui a estas horas indecentes a pensar em temas que não são inteligentes nem tem nada de urgente.
A culpa não é minha, não é não. A culpa é de quem me faz perguntas ... E depois fico a pensar no assunto.
Eu não sei como é com vocês, mas eu escrevo aqui no "Cheiros" situações com que me vou deparando ou sobre assuntos que normalmente vem à baila em conversa com amigos.
A verdade verdadinha é que também se fantasia um bocado..mas ninguém tem nada com isso eu escrevo como gosto e o que me dá na real gana. .
 

- Então mulher o que é que se passa contigo?
- Gripe... Estou com uma constipação que nem te conto!
- É só isso?
- O trabalho, é muito e também não esta a correr muito bem!
Momentos depois...
- Estou um pouco cansada e saturada de tudo... Sinto-me presa tenho momentos que me falta o ar.

 

("A vez apetece-me criar uma ilusão para me afastar da monotonia da realidade..a monotonia não se evita ou nem sempre se consegue como se diz por ai...Acho que tenho tudo, uma vida quase "perfeita"  mas por  vezes  entro em crise... Sinto que não acontece nada..., que a minha vida é uma grande monotonia, embora seja bem agitada e sempre acontecem coisas novas.
É tão agradável e tão excitante criar uma ilusão, vive-la, fazer planos entusiastas mas vive-los...

O meu "mais que tudo" diz-me que sou louca quando o envolvo nestas coisas..
Mas é muito bom por momentos esquecer a realidade como é, sim porque sonhar faz falta.. E mesmo sabendo que depois de criada esta grande ilusão temos que voltar a dura realidade.. Mesmo assim o momento em que ela existe e dura é tão excitante e electrizante que acreditem vale a pena.

Outras vezes sinto que preciso de espaço, o meu espaço... Porque não me venham com tretas que amor é viver e respirar o ar do companheiro/a dia após dia após dia... No amor é bom ter saudades ..( o diabo é que o meu não me deixa tê-las) É bom desejar... O que é de mais também pode saturar. Não somos siameses.
Amo o meu "mais que tudo", nem ponho isso em causa. Mas já tive dias que me apeteceu rifa-lo...

Ó pá mas com a sorte que tenho de certeza que a rifa ia saia à casa.")


- Bem me parecia que era mais alguma coisa...
- O meu "mais que tudo" estava aqui e não me sentia muito a vontade para alongar a conversa
- Aposto que quis saber quem é essa amiga de longe com quem tanto falas
- Não, nada disso.. Não faz perguntas. O meu telemóvel não se cala ... Constantemente recebo telefonemas de trabalho, se perguntar cada vez que ele toca não faz outra coisa.
- Há, o teu é daqueles que não faz perguntas e confia?


Fiquei a pensar nisso...ciúmes,confiança, amor de mais ou de menos.

Falar de ciúme é complexo e até polémico..se perguntar a 10 pessoas diferentes aposto que vou ter 10 respostas diferentes do que é o ciúme e como o entendem..uns dizem que o ciúme é prova de amor, outros que é o sal de uma relação, há quem diga que o ciúme é próprio do amor, que quem ama cuida. Outros, porém, afirmam que ele é o veneno do amor. Eu, particularmente, diria que depende da dose!

A falta de ciúme é falta de amor e interesse? Não eu não acredito!
O meu "mais que tudo" não tem ciúmes, ou pelos menos se tem guarda-os bem guardados e nunca os percebi... Bom também não é difícil porque eu sou feia como uma noite de tempestade quando troveja...Sim, eu sei que no dia que deus deu a beleza eu tinha tirado férias.


Amar um ser humano é uma das coisas mais difíceis do mundo, porque no momento em que começamos a sentir e demonstrar amor esse “amor” “pessoa “ torna-se  um “objecto” de posse.

Ai não..?

Então vejamos... O meu namorado/a o meu marido/mulher a meu amante.. E por ai fora é meu...
Tornamo-nos dependentes dele ou dela. Podemos ser pressionados  psicologicamente, sem querer ou saber e ninguém quer ser um escravo. Mas todos os seus relacionamentos humanos acabam salvo raras excepções por serem  uma escravidão.( pode haver quem goste, eu não,não me parece saudavel.)
Ok, posso estar a ser racional de mais e a ver as coisa só por um anglo mas de modo geral os relacionamentos afectivos entre humanos são isto mesmo uma escravidão.


- Estas precisar de umas féria sozinha.
- Sozinha? Estas a gozar há anos que tiramos férias juntos imagina eu sozinha...


É aqui que entra a escravidão nos relacionamentos.
Se eu quiser ir de férias sozinha posso ir que ninguém me pode impedir mas afectivamente e psicologicamente não me sinto preparada para o fazer. Porque? Não claro que não é por ciúmes, mas fico a pensar o que é que o meu "mais que tudo" fica a fazer..

Não é que não confie nele, também não é isso... Mas isto com os homens nunca fiando... É preciso um olho no burro outro no cigano...
Não sou nada ciumenta.  o meu "mais que tudo"  nunca foi nenhum deus, mas até que era bem apanhado e ainda está bem  jeitoso.

 

 Mas para mim o ciúme é uma coisa de homem ou mulher que pensa que o companheiro/a é uma posse territorial deles. E esta sempre com medo que esse território possa ser conquistado pelo inimigo . O homem então só pensa em matar.... Têm que concordar comigo que os gajos matam facilmente, é orgulho de macho ferido claro! Como é óbvio lá decorre um caso ou outra que uma mulher também mata... Mas normalmente os motivos são outros. O macho se fareja que alguém lhe roubou a fêmea e o gajo tungas! Mata o outro, mata a pobre da mulher como se ela não tivesse voto na matéria, e depois em calhando até se mata a ele para completar o serviço!  o ciúme é tramado.


Claro que para estes magníficos actos   há sempre por parte de quem os pratica razões suficientes, honra ou lá o que é. É o que se chama a esperteza saloia. Ser corno é que não!! Ela/e deixou de gostar e ate lhe disse ... Mas esse facto era completamente irrelevante e como tal em nada iria contribuir para a sua felicidade uma vez que o seu único objectivo era salvar  o orgulho ferido, nem que para isso tivesse que mentir, subornar ou quebrar umas poucas de regras de qualquer código ético que se preze.

 

Eu ainda acredito que quando existe amor e respeito, o diálogo aberto e franco é sempre uma boa saída para desenredar a teia do ciúme e desfazer seus nós, que podem ser reais ou frutos de nossa imaginação.

 
Infelizmente muita gente só percebe a inutilidade do ciúme depois de uns valentes tombos e cabeçadas, ossos partidos e dores mentais: Tarde começam a perceber que esta ilusão do ciúme é uma mera perda de tempo e que ninguém é de ninguém isso é uma falsa ilusão.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41

   

Hoje, mais precisamente esta noite, morri.

 

Uma dor forte no peito, muita  dor,  falta de ar a boca seca uma sensação estranha de impotência como quem olha a morte nos olhos. Ela ali a olhar para mim e eu sem forças para me mexer. Na cama ao meu lado o "meu mais que tudo" dormia tranquilamente, e ,eu  sem  forças para o acordar . Pensei em gritar mas da minha boca não saia um único som, tentei tocar-lhe para que fizesse alguma coisas mas era como estivesse estática uma força superior  impedia-me de fazer qualquer movimento , (ela) cada vez mais próximo quase a tocar-me  e eu  sem forças  já quase a deixar-me ir desta para melhor.. O coração simplesmente parou exalei o último suspiro

 

Num ínfimo espaço de tempo, pensei na minha vida. No privilegio que tive por todos estes anos e em como foi generosa comigo. Logo eu a dizer isto. Eu que sempre acho que merecia bem melhor do que tenho ou alguma vez tive.

 

Seguramente o "meu mais que tudo" só ia  notar de manhã que eu  estava gelada firme e ir-te na  cama.

 Depois o (t…) era chamado as pressas e aparecia para tomar nota da ocorrência e tentar resolver a situação.

Vendo a mãe sem dar acordo de si era capaz de se apavorar que já se sabe como é que são os homens é mais garganta do que outra coisa qualquer e ver os outros morrer é canja já perante a nossa mãe a coisa complica. 

 

Decerto o "meu mais que tudo" lá me miraria de ponta à outra (ai como eu gosto  naquelas mãos de manteiga a passarem-me pela pele, enfim também a verdade é que já nem sentiria nada). Admirado de me ver ali tão hirta e  até gelada , ligaria para o 112 e depois é que ia ser um ver se te havias aqui no prédio que esta gente para coscuvilhar está por aí .

 

Mas não é que eu até acho que ia dar um bonito cadáver? Só tenho pena realmente de já não estar cá para me ver. Não queria nada  assim género santinha enfiada no caixão, como se fosse uma daquelas figurinhas de  cera de mãos cruzadas terço e cheia de flores . Aposto que a minha irmã (C...) se encarregara de escolher a roupa e não deixaria nada ao acaso, até os sapatos que são um pormenor importante . 

 

E o meu velório o meu funeral, como seria? Será que alguém ia ter coragem de dizer mal da mulher que eu sou, ou fui até à minha morte precoce e inesperada. O que é verdade é que quando alguém morre no dia do velório é promovido a "santo" por todos, pelo menos da boca para fora .

 

Haveria muitas lágrimas?
Palavras de circunstância ou verdadeira dor?

Quem iria sentir a minha falta?

Os meus filhos?  O meu mais que tudo? Os meus pais e irmãos…

Os mais novos seguramente que iam sentir uma grande diferença com a minha ausência. Enfim, terei que deixar umas indicações recomendações do tipo : conduz com cuidado não chegues muito tarde organiza-te com as roupas etc etc etc

O meu mais que tudo? Será que rapidamente arranjava uma substituta à altura?

 Os meus pais e irmãos…

E tirando umas poucas amigas … mas essas também cada uma anda  lá na sua vidinha ocupada , os maridos ,namorados, filhos, cães gatos periquitos, enfim… a verdade é que viva ou morta não fazia lá muita diferença.

 

A morte é o facto inevitável das nossas vidas. É o facto que causa mágoa aos que ficam e apaga a memória dos que desaparecem, ou para sempre, ou para os que acreditam em outra vida, que  todos os seres humanos, entram na eternidade.


Outra coisa que sabemos é que a morte é em todo mundo uma ocasião triste, mesmo quando a pessoa que morre já é velha, ou está doente.

Muitas  pessoas não acreditam que há um outro lado. A morte, para muitos, é um final definitivo, e não uma passagem.


Esta noite sonhei com a minha morte.

Vi a minha vida toda passar à minha frente como um filme, todos estavam lá...
Aos poucos fui dando conta que tinha estado a sonhar.Virei-me na cama, ter morrido foi fantasia.

Falar da morte abre verdadeiramente uma possibilidade de acesso à consciência do homem, ao conhecimento do si mesmo, o que implica necessariamente numa maior consciência do outro.

 

Sexta-feira morreu um conhecido com 50 anos hoje ao chegar do funeral uma mensagem: morreu o (....) 51 anos.

Comecei a fazer contas de cabeça.

 

(Morrer é apenas não ser visto. Morrer é a curva da estrada. )
(Fernando Pessoa)

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:20


Fumo

por R.Cheiros, em 05.08.08

 

 

 

Dou comigo uma vez mais a fumar e a  a pensar: afinal para que é que eu fumo? 

 Nem me lembro bem, mas comecei a fumar muito cedo. Tinha por volta dos treze ou catorze anos. Comecei a fumar na escola. Escondida atrás  do pavilhão de educação física.

Não me recordo de todos os meus companheiros de “fumo” mas de outros sim, e ainda hoje mantemos contacto. Uns de certeza largaram o vício,mas outros, tal como eu, tem um caso de amor e cumplicidade com este vício sacana.
Agora pergunto-me frequentemente porque fumo...?

Era a idade da descoberta... E não sei bem porque, mas nessas idades tudo o que é proibido é o que nos seduz (ainda hoje).

Eu era uma rebelde sem causa uma “sabe” tudo estupidamente arrogante.
Na piscina municipal onde naquele tempo nos juntava-mos existiam placares de publicidade apetecível...

"SG Gigante km de prazer" E sempre mulheres bonitas acompanhadas de belos homens.

O  tão famoso cartaz da "Marlboro" onde o protagonista ao mesmo tempo que deitava o fumo fora nos olhava nos olhos.. Lindo de morrer...:)

No cinema.Antes de cada secção lá estava a publicidade ao tabaco e nos intervalos.

Durante muitos anos fumei "SG Filtro"
Hoje olhando para trás consigo perceber o quanto somos vulneráveis, influenciáveis e tremendamente arrogantes na adolescência.

Recordo-me da técnica da pastilha elástica e da pasta de dentes. Cada um de nos tinha uma caixinha com pasta de dentes, que dava jeito para disfarçar o hálito do tabaco quando chegássemos a casa e evitar ser descobertos pelos nossos pais.

Esperava que todos fossem dormir e abria a janela do meu quarto para poder dar umas passas no cigarro.

Hoje penso em como arriscava a levar uns tabefes do meu pai.Nunca fui apanhada e ainda hoje me pergunto como!

O meu pai só descobriu que eu fumava no dia que me casei. Porque a minha mãe já sabia há muito tempo..
A verdade é que nunca mais me livrei deste vício. Em casa, no trabalho, e casei com um fumador.

O que é certo é que a nicotina tem-me acompanhado como uma sombra ao longo da minha vida.
Fiz um intervalo de 9 meses que foi o tempo da gravidez. E pouco tempo depois voltei aos braços (do meu amante) o cigarro.

Não consigo dispensar um cigarro! Principalmente depois de um café, se estou a trabalhar até mais tarde, quando me sinto nervosa, mas também nos os evito nos momentos calmos...

E agora porque é que fumo..?

Faz-me gastar dinheiro, provoca mau cheiro, não me acalma, isso é ilusório, fumar, está completamente fora de moda.

Debilita a saúde com largos passos para a morte. Ou seja, é comprar a morte em "suaves prestações". Agora já não tão suaves, que o tabaco está pela hora da “morte”...
Maldita hora em  que tive a infeliz ideia de fumar o primeiro cigarro. Então não merecia um par de estalos bem dados...?

Hoje sou uma viciada assumida! Continuo a perguntar-me porque é que fumo..?

Mas o facto é que já fiz varias tentativas e volto sempre.

Continuo a fumar, e o mais grave é que tenho pouca vontade de com convicção deixar de fumar.
Estou consciente de todos os malefícios do tabaco.

Inclusive concordo com todas a medidas adoptadas recentemente. Mas continuo a fumar no meu gabinete e a matar-me diariamente....
A burrice é crónica?

Afinal porque é que eu fumo??

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:55


Mortas

por R.Cheiros, em 06.05.08

-

Só no primeiro trimestre de 2008

São já 17 as mulheres mortas vítimas de violência doméstica.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:05


Violência

por R.Cheiros, em 03.03.08
 

Não há muito tempo assisti a um funeral e verifiquei atónita (ou talvez não) que os que mais choravam o defunto, além da sua mãe e irmãos, não era a família mais íntima, mas sim um ou outro conhecido que se cruzava com o defunto uma vez por outra.

 

E fácil de explicar, o morto (que já vai tarde) tinha por hábito de praticar todo o tipo de violência em casa.

 

Pelo tipo de reportagens que existe sobre violência doméstica, parece que o casamento está a pontos de se transformar numa das nossas instituições mais perigosas.

 

Temos o hábito de falar nas coisas em dia assinalados mas na realidade pouco tempo depois quando se ouve uma notícia sobre o assunto é tão indiferente como se fosse um dado adquirido: tem que ser assim.

A violência doméstica converteu-se na causa principal de agressões a mulheres entre os 15 e os 60 anos.

O aumento da violência faz apenas parte de uma história mais longa, e tem sempre motivos dúbios, a violência doméstica é uma condição aprendida e uma consequência de um fracasso na identificação masculina, os homens batem nas mulheres, porque o viram fazer nas suas próprias casas ou porque não foram ensinados a respeitar a mulher como um ser humano igual, por cobardia, ignorância.

Refiro-me aos homens porque é muito mais comum , existem mulheres agressoras embora em menor número, e é igualmente condenavel.

Claro que é necessário que se dêem informações sobre os números reais do abuso, maus tratos, violência ,etc. , mas acho detestável a forma como estas notícias são tratadas, um sensacionalismo que acho francamente perigoso.

 

Cada vez há mais notícias, por exemplo de” cavalheiros” que dão pancada nas suas legitimas (e continuara a havê-las penso) se essas notícias não começarem a ser redigidas de forma menos escabrosa e de como a  impunidade vence  nada vai mudar.

 

A tese de que a violência domestica pertence exclusivamente ao sexo masculino é completamente errada.

 

A agressividade pertence aos dois sexos.

Mas que conste (Em geito de graça ao talvez não...)que nós também contra atacamos embora mais subtil, mais feminina (note-se a ironia) mas cool .... Com mais glamour, vá lá.

Parece-me a mim que que está a parecer outro tipo de mulher que....está a tentar virar o jogo.

 

Malvadas...? Claro que não.

Só começamos a criar garras, hoje uma em cada três mulheres usa unhas pintadas de vermelho -negro, pior ainda apresentamos as unhas dos pés pintadas dessa cor e se possivel calçamos umas sandálias do mais louco que há para as mostrar, lol.

 

Mas digo isto (porque em pequena ouvia dizer que uma mulher decente não pinta a unhas dos pés,convem dizer que já tenho uns anitos..)

A pergunta é o que levou as mulheres a porem em destaque as suas garras num tom que há alguns anos trás nenhuma mulher sensata (que eu não sou) se atreveria a mostrar?

 

Uma cor de prostituta, de bruxa, de mulher fatal, tão malvada e tão sangrenta. Porque ao fim e ao cabo não se chega a lado nenhum sendo uma boa menina.

 

Um exemplo (porque todas já ouvimos falar delas)Madona ,Courtney Love ,Sharan Stone todas arrastam a reputação de mal-educadas teimosas exigentes, umas autênticas cabras. E, se virmos como lhes correu a vida, parece que melhor que temos que fazer é ser péssimas.

 

Porque as meninas boas essas casam adoram os maridos e cuidam do lar e dos seus filhos, e habilitam-se a levam porrada...(não estou a generalizar claro)

Essa rapariguinha que vimos na tv na semana passada, com pinta de ser mais boazinha que os anjos, a pobre, essa a quem o namorado bateu, o mesmo namorado que ninguém prendeu apesar de ela ter comunicado as autoridades as repetidas agressões, o namorado que acabou por a matar....,a essa rapariga as coisas não correram bem.

 

E não era só maltratada por o namorado como por a justiça ,que fez orelhas moucas aquela pobre rapariga.

Gostaria de acreditar que a escolha da cor das unhas reflecte um sentimento profundo que começa a germinar no inconsciente colectivo.

 

Ainda não somos tão más como deveríamos (não assediamos os colegas (não muito  )no escritório, não batemos nos nossos namorados não os obrigamos a estar caladinhos e levantar a mesa..) vejam lá.... ,mas tem que se começar por algum lado...

 

Tambem se pode brincar a falar de coisas serias..

Alguem é servido...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:56


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds