Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há lá piorzinho!!

por R.Cheiros, em 22.11.08

 

Existe lá piorzinho que depois de uma semana duríssima todos os dias a trabalhar sabe deus até que horas... Passar um sábado de sol fechada no escritório entre quatro paredes a olhar para os papeis??

Há alturas em que aquilo que digo, por mais fortes que sejam as palavras, é tão pequenino para descrever aquilo que realmente sinto.
Hoje é uma dessas alturas!!!
 

Help..

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:01


Aventuras de uma semana banal

por R.Cheiros, em 24.06.08

Saltar
Começar o dia a saltar (no verdadeiro sentido do termo) porque percebi que há sempre alguém disponível para me transportar mas só de carro o resto está por minha conta. Portanto tudo é feito só num pé. "

( Agora entendo a dificuldade do Saci ,para que se lembra do Sitio do pica pau amarelo)


Arrumações.
Vá lá saber-se porquê, esta semana os meus roupeiros estão  um "brinquinho"...um verdadeiro mimo, com caixas e caixinhas, tudo separado e roupa por cores...

 

Cozinha
Experimentei uns petiscos novos e fiz sobremesas todos os dias daqui a pouco começo a crescer para os lados.

 

Compras

(Nestes dias de "prisão" forçada tirei um dia para "soltar a franga")
Sou consumista até há 5ª casa.... O meu "mais  que tudo" diz-me até que vou viciada, (consumista compulsiva) Trapos e mais trapos, até ao trapo final. Indecisa entre um modelito verde, ou um preto eis a questão! Decisão a tomar tendo em conta as sandálias que só posso experimentar num pé (Ainda dizem que viver é fácil)

 

Almoço
Almoço fora com duas amigas das compras. Largo dos restaurantes no espaço comercial um tipo “giro" a passear-se no restaurante com uma criança e de repente, ter o tipo colado à nossa mesa, a dizer "Matide diz olá à menina que tem dói dói ". A menina era eu! E no final, quando estava a ir embora, entre beijinhos à criança "que é algo que me derrete nos homens" um descarado... "Matilde diz adeus". E a miúda disse adeus mas para outra mesa :))). Giro mas limitado...Resultado: uma sonora gargalhada!


Sem pachorra
Ando literalmente sem pachorra para as conversas de sempre, para as mesmas pessoas, sem paciência para ouvir as mesmas histórias vezes a fio...para a corte e costura de sempre.


Leituras
Estou a meio do livro de um amigo (J C) que me foi enviado por e-mail, bastante interessante e recomenda-se. Ao mesmo tempo que estou a terminar“O menino que sonhava chegar à lua” de Sally Nicholls recomendo é de cortar a respiração e fica aqui o resumo para vos aguçar o apetite.


Filmes
Voltei a ver o fiel Jardineiro e o Paciente inglês e claro Sete anos no Tibete um dos meus filmes preferidos .


Musica
Comprei dois Cds. Cámane : Sempre em mim . Mariza : Concerto em Lisboa pelo fantástico preço de 9.95€)

 

Trabalho
Semana sem trabalho no escritório não é semana que valha a pena. Já tirei os pontinhos do pé o “ponto cruz” não ficou mal de todo. Não marquei ainda o médico porque foi uma semana de férias,...


Blogue
Vou escrevendo umas coisas... Que vai dando uma ajuda.Eu diria mesmo uma preciosa ajuda. Sinto-me farta de estar “parada” :)
 

 

Estado de espírito
SOCORRO precisa de ir trabalhar urgente ou dou em doida
(duas semanas que meti de ferias estão a ser de mais)
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


Eu estranhamente lucida

por R.Cheiros, em 03.06.08

 

(Hoje não fales comigo!!!!)


Um amigo meu que não via há imenso tempo virou-se para mim e disse-me que eu estava com ar misterioso (que segredo escondes?). Ri-me e disse-lhe que era doido. A minha vida é um livro aberto.

Digo sempre o que penso, não fujo de uma boa conversa, nem sequer de uma boa discussão.

Começamos com um jogo de palavras. Uma espécie de  flirtar (aquele jogo do conhecimento em que cada um vai dando um passo no sentido de descobrir o outro e vice-versa). É.  Impossível que alguém que te rodeia não não notar que não estas feliz.

Não estou feliz....??
Dou comigo a pensar em mim...

Há quanto tempo não me analiso e não para para me “olhar “com olhos de ver.

Porém esta semana, alguém que nem sequer me conhece muito bem assim  disse-me que há situações em que fujo. Em que me escondo. E a minha melhor amiga, que me conhece como ninguém, ainda acrescentou que jogo sempre à defesa. Que reajo mal perante os elogios.
Confesso que fiquei a pensar no tema. E é verdade.
No meu círculo de amigos e conhecidos, tenho um rosto uma identidade, sou a (...) companheira, alegre, equilibrada e que sei ouvir, amiga para todas as horas. 
No meu trabalho com os "colegas" dizem que sou, ordeira e organizada. (A sério? Olha que não...) competente, as pessoas vêem-me como teimosa e determinada na verdade tenho uma personalidade um pouco dominante, em especial no local de trabalho.

Em casa sou...a que que vive no mundo da lua, dizem que tenho uma imaginação muito activa. Pouco realista, despistada, por vezes autoritária e arrogante (Por vezes).

Na rua sou "aquela"...  Ninguém, apenas mais uma pessoa entre milhares mas continuo a não ser ninguém, posso passar uma imagem confiante, e agressiva, mas sou mais uma no meio da multidão . 
E aqui (neste espaço)não sou nada, nem ninguém... 
Assim é tão fácil falar de sentimentos, de mim, de nós, das nossas frustrações, amores desamores, dos desencantos, dos sonhos, desejos e esperanças. 
Que me julguem...estou pouco me lixando. Pouco me importasse se  alguém me lê. É me completamente indiferente, estou-me completamente nas tintas para o que alguém possa pensar de mim... Até porque aqui não sou nada, apenas palavras, louca... ? Sim talvez.

Mas para que me serve a merda de um blogue se não poder gritar o que me apetecer?? Coisas bonitas e bem comportadas já escreve meio mundo e não estou a pedir a ninguém para me ler... eu nunca fui politicamente correcta nem certinha portanto que se lixe.. 
Possivelmente tenho uma maneira de ver o mundo diferente da maioria das pessoas, até porque não existem duas pessoas iguais.

Estou um bocado farta de tudo "isto" que me envolve, uma vidinha de classe média onde parece que tudo nos é imposto e pré-determinado, cheia de regras, e falsos moralismos.
Olha que isto fica mal, olha que aquilo não é adequado, isso não é para a tua idade... Não deverias fazer assim... 
Sinto-me a sufocar e a precisar de "espaço" o meu espaço o meu tempo, os meus gostos onde seja eu mesma sem me estar a preocupar que "fica bem ou não" tenho vontade de mandar a merda todas as regras e convenções a que fui sujeita durante anos, a deixar de me preocupar com o que os outros pensam e pensar mais em mim.

Estou farta de pessoinhas perfeitas palavras de circunstância escolhidas a dedo ... Hipocrisia e falta de verdade.
Mentiras... Um chorrilho de mentiras porque ninguém é perfeito e todos temos momentos de nos apetece gritar que estamos fartos, ou não??
Farta de ler coisas perfeitas... E então onde são os outros, os imperfeitos?

Pensar se estou feliz.... se é isto que eu quero para minha vida.

Porque será que perdemos o habito de nos analisar??

Cheguei a conclusão que o que faz o impedimento é o medo de tomar conhecimento com a realidade e de descobrir que estagnamos em alguns pontos da nossa vida.

Temos sempre a mania de pensar que a “galinha da minha vizinha”é sempre melhor do que a minha...

Mas todos têm duvidas, problemas , e normalmente existem dois caminhos, ou falamos deles e exorcizamos todos os fantasmas ou vamo-nos acomodando e deixando de viver. Depois de muito pensar cheguei à conclusão que tenho “tudo”....

Depois de 25 anos de vida em comum  olho para trás e realizei todas as metas ...namorei muito, construi uma família, solidifiquei-me a nível profissional ,realizei os sonhos matérias e viajei. (tenho uma vida invejável..)

Mas realizei os sonhos que realmente importam?

Hoje agora neste momento que já vivi mais de metade da minha existência, sinto-me totalmente realizada?

Sendo realista...

A ti meu amor, porque hoje....
Sinto  marasmo que se transformou a minha vida, sinto-me pouco mais do que um dado adquirido.

Onde já não existe a necessidade de investir, conversas banais, tantas vezes de circunstância.

Como se tivéssemos a seguir algum guiam escrito por nós mesmos há muitos anos.

 Sinto-me a jogar completamente na defensiva nas relações amorosas.

Temos ao nossos momentos que me parecem cada vez mais fugazes..começo a descobrir coisas em mim que desconhecia.

Já não gosto de expectativas.

Não gosto de me sentir a precisar de alguém.

Já não me consigo expor como dantes. Atormentam-me as dependências, depender de alguém.. não sequer sei porquê.

Já não gosto de dizer: Amo-te não que não te amo porque não posso negar que ainda te amo mas a palavras fazem-me alguma confusão.

Não gosto de elogios principalmente relacionados com a minha vida pessoal, e responde invariavelmente a desconversar. 
Eu quero mais...espero mais da minha vida, tenho sonhos. 
É impossível manter uma conversa quando dois não querem, passa a ser um monólogo, quando não se quer ver que não está tudo bem. Sinto-me tantas vezes como se estivesse a falar para uma "parede".

Pormenores, pormenores que saltam a vista...

Pergunto-me onde foi que nos perdemos? E porque raio não te questionas tu?

Faltamos alma... Paixão, desejo... O sexo passou a ser como que uma obrigação, faz parte, não é?

Não te acuso de nada, nem vais ler isto... É mais um desabafo meu, porque a culpa nunca é só de um, ambos somos culpados, possivelmente passamos tempo demais a olhar para nós mesmos sem nos preocuparmos com o  pormenor que é (nós dois)
É uma sensação de dualidade, uma parte de mim que me diz que ainda vale a pena que não devo desistir que são fases da vida e que tudo vai mudar, a outra parte tem vontade de mandar tudo as ortigas e dizer basta.
(Será que sou a única pessoa que se sente assim? Existem casamentos perfeitos?)

Não ,a galinha da minha vizinha  não é melhor do que a minha.... talvez nem a vizinha pare para apensar...
Gostaria de poder ler os teus pensamentos, descobrir para lá do que é visível.
Neste momento sinto-me presa, insegura e farta a sufocar em palavras
Isto já me passa!


  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00


Sem pachorra

por R.Cheiros, em 23.05.08

Eu não sei se é da idade ou mesmo falta de pachorra.
Que me acusem de preconceituosa não me atinge minimamente porque é-me completamente indiferente o que pensa de mim quem não me conhece.
Mas devo ter alguma coisa que desconheço que atrai a imbecilidade.
Ainda há pouco escrevi que existem blogues de tudo e mais alguma coisa e que cada um escreve o que lhe dá na gana para mim é completamente indiferente.
Importa-me tanto o que cada um escreve como me interessa a vida sexual dos canários é a mesmíssima coisa.
(Visito os que me interesso e gosto o resto é conversa).
Que se escreva sobre sexo tudo bem (eu também o faço) é natural o sexo existe..
Estamos aqui todos resultado de uma queca .
Que se coloque a palavra sexo nos tags dos blogues, ok eu também o faço.
Que se descreva ao pormenor as aventuras sexual as vezes que cada um se "vem" onde e como e que se utilize linguagem vulgar parece-me a mim muito bem para quem o quer fazer. Quem escreve deve sentir algum prazer (talvez seja a única maneira que tem de acabar com as frustrações) secreto ou ficar a  imaginar que do outro lado esteja alguém cheio de  "tusa"por estar a ler.
Acho um bocado frustrante...Mas também não me diz respeito e não tenho nada com isso.
O que eu tenho com isso e estou farta é que uma determinada “senhora” sim esta entre aspas porque é um favor que lhe faço chamar-lhe senhora porque o termo adequado é ordinária ou puta , é forte? Não, depois dos e-mails que me tem enviado com textos de qualidade duvidosa e fora de propósito.
E eu quando quiser descrever sexo ao pormenor vou trabalhar para as linhas eróticas sempre ganho alguma coisa.
Agora por favor quarentona ou madura ou lá como te intitulas vai te catar e vê se me desamparas a loja
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:21


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds