Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Teorias e manias

por R.Cheiros, em 06.06.08

 

Acho que ontem já tinha referido que a minha mãe é uma "sábia" ou seja não fala muito mas quando abre a boca tem o dom de arrasar.

Então cala-me sempre com esta frase: "A mania é pior que a doença."

Mas todos temos um pouco de mania e varias teorias ou não?
Eu cá sou uma gaja cheia de teorias. E acredito nelas até ao dia que me provarem que não são verdadeiras.

Tenho a teoria de que :

-A amizade é a aceitação de cada um como realmente ele é ;

-Amizades, as verdadeiras, são eternas; as pessoas não precisam necessariamente de se interessam pelo mesmo tema, para gostarem de partilhar momentos juntos;

-As pessoas mais apaixonadas não são necessariamente as que mais o demonstram, ou seja, os casais aparentemente “perfeitos” fazem-me “urticária” e desconfio sempre da aparente felicidade;

-As mulheres podem tornar-se facilmente amigas de um homem só pela companhia e amizade do outro;

-As pessoas por dinheiro transformam-se;

-Mas que tristezas não pagam dividas;

-Quem mais esperto se julga, mais facilmente é enganado;

-A sinceridade está em desuso que nas costas dos outros podemos ver as nossas;

-As pessoas tem várias mascaras dependendo do local e da companhia estando no emprego ou em casa;
- Que as pessoas com um copo a mais fazem exactamente o que a coragem lhes falta para fazer quando estão sóbrias;

-E que as mágoas não se afogam em copos nem em xanax;

-Nada acontece por acaso;

-As coincidências existem e explicam muita coisa;

-Normalmente o que parece não é;

-A minha intuição nunca ou raramente se engana ;

-Detesto ter sempre razão mas tenho;

-Quem cala consente é das maiores mentiras ;

-Que quem se cala não se entala é completamente errado;

-O amor à primeira vez existe porque quando olhamos duas ou três detestamos;

-Quando se gosta de duas pessoas ao mesmo tempo não se gosta de nenhuma;

-Não existem pessoas felizes, nem vidas perfeitas;

-O amor é eterno enquanto dura;

-Sexo e amor não andam  obrigatoriamente de mãos dadas;

-Amor não implica sexo;

-Sexo e amor é a união perfeita;

-Que o desejo aparece quando menos se espera;

-Quando uma das partes se anula a outra tem consentimento prévio para seguir em frente;

-O casamento é um contrato que deveria ter os estatutos actualizados de 5 em 5 anos;

-Grandes machões são os primeiros a serem facilmente dominados pela “cara-metade”

-Que não se devem engolir sapos;

-E que  é preferível  uma verdade dolorosa que uma mentira piedosa;
-A minha vida é uma merdinha e não uma merda como eu tantas vezes digo;

-Meninas com ar certinho são sempre as piores;

-Brincar com o fogo é muito bom;

-Afelicidade são pequenos momentos;
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:40


A vida segue lá fora.

por R.Cheiros, em 29.05.08

Sinto que ando a trabalhar de mais, hoje já levo sete  horas de trabalho, e para que...

Sou sempre a última a sair e a primeira a chegar, não sei se é uma forma de fugir dos pensamentos e ideias loucas.

Hoje sinto-me estranha, café e cigarros atrás de cigarros.(aqui ainda se pode fumar)

À minha secretária, parece a de um gabinete de conselho de guerra onde se vai decidir o futuro da humanidade.

A confusão é total sinto-me prestes a desmaiar sem saber para onde me virar, que mariquice é esta.....?)

 A minha visão está nítida, vejo isto tudo mas recuso-me a mexer nesta papelada a vontade está ausente, o meu pensamento anda sabe deus onde.

Encosto-me para trás, fecho os olhos, concentro-me nos meus pensamentos (penso em começar a trabalhar) decido que não prefiro ficar quieta).

Nunca perco a consciência do que me rodeia, mas estou intensamente centrada sobre mim própria com pensamentos bizarros (nunca deixo de saber onde estou ou de me aperceber do som que sai do radio).

Sinto-me tonta, faço perguntas a mim própria, será do fumo  do gabinete? queres ver que o cigarro era um charro ..lol

Agora cinco minutos depois não sei o que foi isto... Agora sinto-me bem, mas não consigo concentrar-me no que estou a fazer. 

Olho para o meu trabalho, não reconheço as páginas do catalogo  que estou a editar! Viro páginas para a frente e para trás, mas não consigo perceber o que estou exactamente a fazer, o objectivo principal. É claro que tenho que parar um bocado. 

Pela janela vejo o sol lá fora, o dia está bonito e eu aqui fechada. Sinto vontade de sair, ir para a rua, pegar no carro e sair em destino. 

Tenho-me perguntado várias vezes, porque? Porque é que ando nesta lufa-lufa, nesta correria desenfreada? 

Será que me falta  imaginação para a vida. ...? 

Sinto-me a começar a falhar em todas as frentes, não sei o que se passa comigo nunca fui assim, de baixar os braços! Algum interesse haverá nisto "tudo" se estou aqui... 

Nesta altura é hora de parar e pergunto-me porque estou com divagações sobre o...... trabalho:)

A vida esta lá fora a sorrir para mim... E eu tenho a maior das dádivas estou viva. 

Que se lixe o resto. Vou sair e apanhar um bocado de ar e sol, quem sabe o que esta tarde ainda me  reserva... 

(Para começar vou almoçar, depois seja o que deus quiser....)

Apetece-me rir, conversar, namorar, fazer amor... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:30


CURRÍCULO..

por R.Cheiros, em 23.05.08

 

(ISTO É DE MULHER...) 

Mulher de fino trato  oferecesse ...

Se vocês conhecem alguém que precise de:

- Funcionária mulher, com mais de quarenta anos e que isso não seja sinónimo de velhice e, sim, de experiência;
- Que tenha diploma universitário, mas, infelizmente, sem mestrado ou doutorado diplomados por renomada instituição de ensino, mas conquistado à duras penas, após 18 anos de trabalho árduo, vivendo na prática o que os cursos só ensinam na teoria;
- Que fale e escreva o inglês fluente e consiga, principalmente, escrever e falar a língua pátria com desenvoltura, coisa que na atualidade, poucos  o fazem;
- Que tenha acesso e excelente relacionamento com todos os níveis sociais e hierárquicos da Empresa ou fora dela, por achar que não existem diferenças entre um Presidente e um simples funcionário da limpeza pois, parte do princípio que todos merecem receber um sorriso e um “Bom dia!” com o mesmo calor humano e respeito com os quais gostaria de ser tratada;
- Que não tem medo de ir a luta, seja de carro, comboio, avião, barquinho, pois seu nome é trabalho;
- Que sabe a diferença entre brincar e se exceder, entre amizade e falta de compostura, entre família e ambiente de trabalho;
- Que não tem medo de cara feia, pois isso é sinal de fome ou falta de sorte genética;
- Que sabe sair pela tangente em situações adversas com a mesma prática e habilidade com que comanda a casa sem deixar qualquer tipo de pendência que venha a causar impactos financeiros, sociais, econômicos, judiciais, entre outros;
- E que aceite receber menos que um homem, de igual função, pelo fato de saber e ter se conformado com a sociedade machista, mas principalmente, por precisar desesperadamente, arrumar um emprego descente, para ajudar no sustento familiar;

Por favor entre  em contato comigo! 

Candidato-me  a um emprego, seja ele de motorista a presidente. Quero continuar produtiva, pagar as  minhas contas, comprar os  meus alfinetes,  dar  pequenos mimos aos meus filhos e mãe e, necessito, urgentemente, me sentir viva, capaz e ativa! Portanto, se souberem de alguém que necessite de uma pessoa, como eu, com esse meu jeitinho todo especial de ser, por favor, indiquem  o meu nominho!!

A família, penhoradamente, agradece!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:04


"Retalhos da vida real"

por R.Cheiros, em 15.05.08

 
A ver se hoje consigo sair mais cedo, hei-de pensar em qualquer coisa, digo que tenho que levar a miúda ao dentista, afianço que é o único dia disponível do doutor.
Hei-de sair cedo, apanhar o autocarro antes que comece a confusão da hora de ponta, saio cedo e vou ao cabeleireiro já combinei com a Lucinda, nada de muito complicado que não há tempo nem dinheiro, pelo menos lavar e secar, fica-se logo com outra cara.
Comprei ontem uma camisa de dormir curta, avermelhado escuro, com folhinhos em cima do peito.
A ver se hoje.... Pensei que hoje porque hoje é quinta-feira, dia em que o Jorge consegue chegar mais cedo, apareço-lhe sem a menina, ele pergunta por ela e digo-lhe que ficou em casa da Céu a fazer os deveres da escola com a miúda dela, ando a pensar nisto porque percebi que tenho que arranjar tempo.....O que equivale a dizer ocasião, a tal que se diz que faz o ladrão.

Porque o resto do tempo, levantar, fazer o pequeno-almoço, correr para o autocarro, chegar à companhia de seguros, atender telefones, quando cai a noite correr para o autocarro, apanhar a menina, chegar a casa, manda-la para o banho, fazer o jantar, pôr a mesa, levantar a mesa, passar a loiça por agua, ir ao quarto dar um beijo à menina que amanhã há escola, e há o emprego para mim e o emprego do Jorge, sento-me ao lado dele na sala, a cabecearmos em frente aos concursos.

Por isso nunca é de noite porque a noite estamos cansados, nunca é de de manhã porque de manha não há tempo, nunca é ao fim de semana por causa das compras para a semana, porque a menina anda lá por casa, porque o Jorge, e acho isso natural, as vezes vai ao futebol, outras ao café estar com os amigos.

Agora ando a pensar nisso, a primeira coisa que nos aparece é a primeira a ir-se embora.

Andamos desencontrados, é o que costumo dizer, andamos desencontrados e não há maneira de nos encontrarmos.

Às vezes no sofá o Jorge vai-se chegando a mim, passa-me a mão ao de leve sem olhar para mim, mas eu penso na roupa que não se passa a ferro sozinha, eu de ouvido alerta a ver se a menina ainda acorda.

De maneira que o Jorge retira a mão amuado, e nas próximas horas, nos próximos dias, responde-me torto por causa de tudo e mais alguma coisa, e se percebo que a menina dorme já e se estamos na cama, toco-lhe eu, a luta contra o sono, toco-lhe na perna a ver se ele percebe que pode ser, mas ele volta-se a fazer barulho, a fingir que já ressona, os amuos duram cada vez mais.

Embora possa jurar que não quero um amante, como não estou a ver o Jorge com tempo para uma amante, acontece apenas que andamos desencontrados, que alguma coisa se partiu e logo aquela que nos juntou, porque não me venham com coisas, a gente no princípio o que quer é abraçar-se e tocar no corpo um do outro, e agora temos que arranjar minutos para tanta coisa que depois para isso já não dá.
As pernas nunca mais se tocam quando querem tocar, porque uma quer e a outra não, e no dia seguinte a que queria já não quer, mesmo que a outra agora insista.
E não quero amante coisa nenhum, quero o Jorge, não me quero mostrar a amantes, visto-me e dispo-me de costas para o espelho, não me quero ver porque acho que vou arranjar explicação definitiva para isto, e vou concluir que percebo porque é que a primeira coisa que nos junta é a primeira a ir-se embora.

 

Texto: Rodrigo Guedes De Carvalho

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds