Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A delícia de ser mulher;)

por R.Cheiros, em 30.03.09

Ser mulher é algo assim .. Maravilhoso.
 Embora geralmente nem se pense muito no assunto. Vivemos em correria, esta é uma sociedade competitiva e moderna, cheia de exigências de horários a cumprir, papéis a desempenhar e nós vamos nos deixando ir ao sabor da maré. 

 Não nos preocupamos verdadeira mente em ser mas em parecer melhor do que os homens.
O tempo passa rápido de mais, o tempo não nos deixa muito tempo, outras vezes perdemos tempo com ninharias. Falta-nos tempo de reflectir sobre os momentos da nossa vida, aqueles quotidianos, diários, que não têm nada de especial e que no fundo são especiais.
Acordar, espreguiçar-me, sentir o corpo dele, quentinho, aqui ao meu lado... delicioso!
 -Psst, está na hora.
- Hummm , só mais um bocadinho.
 E como esta sensação suave de prazer muitas são as que nos fazem sorrir. Isso mesmo, são as pequenas ténues delícias que compõem a nossa vida e a tornam mais interessante

E a vida é tão melhor com eles do que contra eles... é com eles ao lado que sentimos o quanto fantástico é ser mulher.

Admito que exista quem pense o contrario.. Mas a vida é mesmo assim:)
Pois é são os "pequenos" momentos que nos invadem de uma felicidade transbordante e inesquecível Mas há mais...!
No fundo a vida é feita de pequenos pedacinhos bons e maus. Pensemos nos bons e vivamos o que a vida tem de maravilhoso .

publicado às 09:28


Outros prazeres

por R.Cheiros, em 26.03.09

 É um dos grandes prazeres das mulheres.
Eu pelo menos não conheço nenhuma que não goste!
E dos homens também. A verdade é está, deixou de ser exclusividade das mulheres assumir que se gosta.
Existem de vários modelos embora a finalidade seja a mesma. Mas a mais importante de todas, pelo menos no meu ponto de vista é que seja confortável que nos dê prazer. Não sei se concordam comigo..?


De várias cores que podem ir do preto ao rosa choque, eu pessoalmente não gosto de corres garridas. 
E texturas … de diversas materiais desde os sintéticos há pele natural. Uns mais práticos do que outros é certo, mas o conceito é o mesmo.
Existem modelos que em números pequenos são fantásticos já em tamanhos grandes perdem parte da sua beleza. Do clássico ao mais arrojado existe de tudo e para todos os gostos e à medida de cada uma de nós.

Toda a mulher que se preza acompanha as novas tendências, sempre dentro do seu “estilo” e gosto pessoal, claro.  Há modelos que nos agradam mais do que outros. Mas convêm ter sempre em conta o prazer final.


Recentemente, o jornal o jornal inglês Daily Mail publicou um estudo, em que era referido que as inglesas, em media, gastavam na sua vida cerca de 55 mil euros na compra. O mesmo estudo constata que a maioria das mulheres compra por impulso e muitas nem sequer dizem ao parceiro que o fizeram.
44% Das inquiridas refere que era  a sua maior fraqueza e 86% admite comprar um novo todos os meses.


Cada vez mais na moda, existem até modelos já consagrados e que servem de base para novos design, actualizando o básico e em alguns casos transformando-se em modelos arrojados.
Podem ser coleccionados, usados, admirados e sempre observados.
Eu confesso, sou louca por eles e não resisto a um modelo que me agrade.
 

Adoro sapatos prontos, gosto. Pois é , são só sapatos..:)))

Sapatos, botas, sandálias, calçado de modo geral. Altos baixos, quadrados redondos bicudos, com ou sem fivelas de atacadores, mules, sabinas, mocassins e até a bela da sapatilha. De pelo ou verniz , mais ou menos sintético ,o calçado é por excelência uma perdição para as mulheres.


Os sapatos são um dos grandes prazeres que as mulheres. têm. Com mais ou menos dinheiro, cada uma de nós não tem apenas um par de sapatos, mas vários e há mesmo quem os tenha ás dezenas e, algumas, ás centenas. Alguém se lembra da Imelda Marcos?? pois é, diz-se que tinha 3.000 pares de sapatos a exemplo de Evita Perón.


Bom, eu não tenho tantos, nem de longe… mas como estou farta de dizer sou bastante consumista e gosto bastante de calçado. E não me posso esquecer das malas, sim porque as malas são um acessório que também merece destaque. Quem compra sapatos, botas ou sandálias também gosta de ter a mala a condizer ou, pelo menos, no mesmo tom ou não é?


O calçado é um prazer pelo menos para mim. Também já aqui referi não tenho o mínimo problema em ir à feira de Carcavelos. Mas calçado é uma coisa que quando compro escolho com cuidado, pode ser caro, é verdade mas é bem mais confortável e amigo dos meus pés.


 O meu único pecado é gostar de saltos altos, sem eles sinto-me descalça. O salto  agulha, ainda hoje, é mais fino e sexy de todos os saltos, pode ter altura até nove centímetros. É prejudicial á saúde dos pés, mas está sempre na moda. Tão fino que exigia uma estrutura de ferro para não quebrar. Mas, nem assim as mulheres desistiram de andar no ” ar”

 

publicado às 14:23


Os homens (um dos) da minha vida!

por R.Cheiros, em 19.03.09

  

Memórias são presentes da vida.
Nunca tive heróis muito menos fui obcecada por esta ou aquela "estrela" e nunca segui modas .(Mas tenho que confessar que um homem marcou a minha vida!
O este homem, era e é o meu manual de vida.

Homem humilde de poucos estudos mas de garra. Ainda do tempo que sapatos eram só ao Domingo e se dividia a sardinha por três porque a fome era "negra".Não tanto por falta de dinheiro mas porque não havia onde comprar.

Nascido e criado numa aldeia da beira, aos 14 anos resolveu tentar a sorte completamente sozinho em Lisboa. Lutou muito, casou aos 20 anos. Em pouco tempo tinha 4 filhos para criar. Acho que foi isso que lhe deu um novo ânimo, os filhos que agora dependiam dele.

Homem integro e de um carácter sem mácula fez-se sozinho sempre dentro de princípios e valores de honestidade.

Não era homem de andar os beijos aos filhos nem aos abraços, mas estava sempre pronto para uma conversa franca e para nos ajudar em qualquer dúvida. Não podia ver os filhos abatidos ou a desistir que tinha sempre uma palavra de incentivo.

Hoje, este "velhote"(rijo como um pêro), com apenas a 4ª classe mal tirada (como ele diz) metia e mete muitos  doutorzinhos no “chinelo”.

Ria-me quando iam falar com ele (quando ainda estava no activo) e lhe chamavam "Sr. Doutor" e ele respondia: Quando estive para ser não tive dinheiro para isso agora tenho dinheiro e falta-me o tempo. Sou formado pela vida.

Bons, todas as minhas regras de vida tanto profissionais como pessoais são ensinamentos que ele me deu, todos os valores e princípios que me passou.

Ensinou-me a ser humilde sem ser humildezinha a nunca virar as costas à vida. Tudo o que sei devo-o a ele. Em todas as nossas conversas ao longo da vida sempre me disse para não me esquecer : A palavra vale mais que uma assinatura.

E com este ensinamento tenho seguido a minha vida.
Obrigado pai por seres quem és.

 

(Não sou fã de dias marcados porque todos os dias são dias... Mas hoje coincide o dia com a atitude ... Obrigado de coração)

 

 

(estou a repescar este post que já tinha publicado anteriormente porque hoje faz sentido e foi a coisa mais sincera que escrevi aqui no blogue)

publicado às 09:31


Receita do dia

por R.Cheiros, em 18.03.09

Hoje, estou contente.

Estou.


Não sei porquê, mas estou.


A vida corre.. e  até correr bem. Adoro o que faço e está tudo perfeito. Tenho uma família sem stresses . Sou uma excelente mãe. Uma companheira fantástica o meu “mais que tudo” até tem o habito de dizer: Ó.. ó.. Nem com uma lanterna acesa encontrava outra igual , eu sei, eu sei, ele é um tipo de sorte.  E uma dona de casa de primeiríssima agua e muitíssimo prendada.
O essencial, portanto.
Dito isto…. Só me falta dizer que a minha maior qualidade é a modéstia!


Gosto de cozinhar, a serio que gosto! Todos os meus petiscos mais ou menos elaborados, não são apenas comestíveis …nada disso, são pratos de divina degustação.


Já me tinha passado pela cabeça publicar aqui algumas das minhas iguarias, mas existem blogues sobre o tema com tanta qualidade e tão bom aspecto  que me sinto acanhada…

( é outras das minhas qualidades, o acanhamento)


Houve um tempo que fazia da cozinha o meu lugar de eleição da casa ( também não tenho muito tempo para estar “enfornada” na cozinha) mas isto com a idade passou-me.

Já cantava  o outro: mudam-se os tempos mudam-se as vontades…! Cantar, cantava o Zé Mário Branco, mas quem disse foi o Camões, não foi?


Existem dias estranhos… como eu costumo dizer dias que não lembra ao “diabo”.


Dias em que algumas daquelas coisitas que falei lá em cima deixam de ter a áurea de “perfeitas” e as consigo ver com realismo…

Háaaaa  e é nessas alturas que me dá uma vontade incontrolável de comer, comer… um doce. Porque isto ninguém é de ferro e há que gastar as energias de alguma maneira.

Eu sei perfeitamente que existem formas muito melhores de gastar as ditas. Mas ontem era "terça feira"….E como sempre ouvi dizer: Quem não tem cão caça com gato, e depois de ter estado a falar das minhas mágoas com alguém que fez como o outro... "Vou ali comprar tabaco já volto"  vai dai, resolvi gastar as minhas energias na confecção de uma coisa doce. Então,  ontem fiz um bolo!!


Já devem ter reparado não gosto muito de colocar imagens nos posts, e por isso, e só por isso não deixo aqui uma bela foto de deixar qualquer um a salivar.. ( também não quero correr o risco de aumentar as visitas ao blogue)


Então vamos à receita.. O grau de dificuldade está ao alcance de todos, acreditem.


Portanto..
Uma forma
Um microondas
Um  pacote de bolo instantâneo, não vou dizer a marca que não sou paga para fazer publicidade.
Despeja-se o conteúdo   do pacote para a  forma e liga-se o microondas em potencia máxima, 7 minutos e  Voilà …


Resultado…

Douradinho e com um cheiro fantástico.
Então vamos lá à primeira fatia ( também a verdade seja dita não dá muitas)
 Descubro então que o sabor é, deixa cá ver, é… pois não é!! Aquela “coisa ” cheira a laranja , parece bolo de laranja mas não sabe a nada, niente.

 

Moral da história. Existem coisas bem mais interessantes para gastar as energias. Por exemplo a fazer um bolo de chiffon..

 

publicado às 11:36


Rosa para a menina azul para menino...?

por R.Cheiros, em 14.03.09

São estas notícias que me deixam a pensar..!
O que raio esperam as  mulheres realmente quando falam em direitos …? Direitos iguais ou semelhantes ao dos homens nos planos político, jurídico, trabalhista e civil.


Agora vejam a seguinte notícia.


Táxis cor de rosa só para senhoras em Paris.
A ideia de táxis conduzidos por mulheres e só para elas, lançada na Irlanda, chegou a  Paris.
A Lady Town disponibiliza táxis Mercedes com vidros escurecidos, bebidas não alcoólicas, maquilhagem e leitura. As motoristas vestem preto e laço vermelho ao pescoço. A tarifa é de 50 euros por hora e 500 por dia


 Fonte: Revista sábado


Mas não demorou muito para que a novidade não se espalhe-se .. Os táxis cor de rosa já chegaram a outros cantos do mundo. 

 Inglaterra, Paris  Moscovo , Dubai e agora ao  Irão. ( que eu saiba)
A motivação, essa é a mesma, que no Reino Unido, Dubai e Rússia: Oferecer um modo seguro de transporte só para mulheres.

 

Mas se acham esta ideia "peregrina"... Os portugueses não ficam atrás, muito pelo contrário. Um centro comercial, julgo que de S. São João da Madeira tem lugares de estacionamento próprios para mulheres.

São mais largos do que os normais (mais um metro de largura)

 

Já agora, o apartheid era o que???????????

Venham lá mais um (8)de Março..

 

 Rosa para a menina azul para menino...?

Vá lá, opinem, estou curiosa...! 

 


Táxiii

 

publicado às 22:32


Bora lá malta.. 1,2,3 já..!

por R.Cheiros, em 13.03.09

Bora lá malta... O fim de semana está ai...!!!!

O que é que importa as notas na música? O que conta são as sensações que nos produzem.. e esta é contagiante.

 

Solta a criança que há em ti, e...

 

Põe as mãozinhas no ar mexe o rabinho a dançar

Bracinhos no chão e não digas que não

Toca a saltar toca a pular

Vamos lá já já

Apostos que vão passar o dia a trautear isto..

Levanta o som e ...

Atreve-te aqui

 

 A vida pode ser bem melhor quando descobrimos que o impossível pode ser dividido numa série de pequenos possíveis!!

PS: É verdade... Tenho aprendido bastante com os meus sobrinhos principalmente com o pequenino:)

 

Bom fim de semana;)

 

 

publicado às 09:11


O tempo não volta atrás… sem ideias!

por R.Cheiros, em 11.03.09

 Ando um bocadinho descorçoada com o blogue. Um bocadinho assim para o muito..


É do tempo..? Pois não sei, mas duvido.  Está  óptimo com um sol radioso. Reconheço que sou um bocadinho inconstante, mas só um pouquito, talvez as coisas não estejam a correr como deveriam.
Uma mulher "escalfasse" a trabalhar, armada em “escrava Isaura” quase como a mulher do padeiro de noite e de dia quando deveria receber os loiros vai-se a ver e tungas... Sai tudo ao contrário do que se espera.


Eu bem tento transmitir por aqui ânimo e confiança, e por enquanto ainda não considero que a minha missão seja uma missão impossível, embora esteja já a resvalar para uma missão de alto risco à medida que eu vejo o objectivo cada vez mais longínquo! Ele são empresas a fechar, desemprego, calotes que até arrepiam, etc.

 

É que eu sou mulher de cabelo preto (pintado é certo, porque isto os branco já não perdoam.. mas não sou burra! Sou razoavelmente "esperta" e até percebi logo que a crise que por ai tanto se fala é uma treta e é só para alguns...
O que está a dar é ser político, lembrem-se disso… a politica é um emprego de futuro.


A modos que sinceramente não tenho ideia nenhuma do que escrever aqui.

A verdade seja dita, nunca tive lá grande imaginação. Não, minto! Já tive…

Ouve uma altura da minha vida que tive a ideia brilhante de me juntar aos “meninos de deus”.  Paz e amor era o lema. Mas confesso que o que mais me atraia era o espírito livre a musica e dizer que era contra.. Contra as convenções o capitalismo, contra as regras … A coisa até não corria mal, até a minha mãe se "encher".... E ser contra a “roupa pouco limpa” e contra umas faltas à escola. O caldo entornou de vez quando cheguei a casa com a ideia peregrina de passar uma semana numa comunidade assim a modos que virada para o (hippie) .
 Nunca me lembro de ver o meu pai tão zangado… Sei que me disse na altura se o meu objectivo de vida era viver no meio do mato, que tinha lá na (terra) muito mato para roçar, era só por mãos há obra.  Lá se foi o meu lado aventureiro de rebelde sem causa..
 
Os mais novos não devem saber de todo que raio são estes “meninos de deus” mas os mais cotas da minha geração de certo já ouviram falar. Então era tipo de uma seita  que até acreditava em deus mas em moldes diferentes. Facilmente eram encontrados nas ruas de viola e cantorias. O lema era paz amor e natureza, viver uma vida nómada e comunitária.
Velhos tempos…já não volto a ter 15 anos …

 

Fiquei triste e  magoada, juro que fiquei.
Mas como tristezas não pagam dividas.. Para irritar principalmente o meu pai, quis ser freira. É verdade! Daquelas há séria … hábito, convento e tudo.  
Depois pensei melhor… O voto de silêncio era o que me estava a custar mais engolir. E aqui entre nós, na altura também conheci o meu “mais que tudo” e não quis deixar passar o meu estatuto de mulher e também sempre tinha um belo dum corpito a defender! Porque isto do corpo não se compadece só de rezas hóstias e a paz no mundo.

 
Mas mesmo assim, continuava  a acreditar  que podia salvar o mundo..  Ideias não me faltavam reconheço.


Pensei então que teria que virar as minhas baterias para outro lado… colei cartazes, distribui folhetos e muitos etcs…
Até um dia…! 
Nunca gostei de “pastores”, vá se lá saber porque… nunca fui “Maria vai com as outra” e acho que o que o ser humano tem de melhor é a diferença. Liberdade passa também por fazer o que acreditamos. 
Sempre gostei de conversas bonitas. Mas muito raramente "emprenho" por os ouvidos.   Estava quase quase  rendida, confesso. Sempre acreditei nos principios ( e isso agradeço ao meu pai) liberdade, igualdade, fraternidade. Depois a bem da verdade,  também não se comiam criancinhas ao pequeno-almoço.

 

Falava-se   tanto de igualdade, descriminação, direitos  das mulheres, direitos humanos, e além disso quando se acredita que  que podemos ser  todos "iguais" e  felizes  só podem ser bom, é ou não é?
Mas se calhar falta  mencionar qualquer coisita.. Assim tipo depois do blá blá blá que tal  passar à prática.
Chega de oportunismo e de dizer o que se quer ouvir.

Muita simpatia, muita generosidade, muita obrigação e muitas regra a seguir. Direito de escolha..? tem juízo tudo pelo bem do (…)
Mas que coisa… eu não sou livre?

 

Hum… chegou-me a mostarda ao nariz. Gosto de perguntar tirar duvidas… Mas havia sempre uma ou outra voz que se lembrava de dizer que o que eu tinha era arrogância e o nariz empinado. Bem contar factos não há argumentos.. Por acaso até tenho, mas posso garantir que é apenas uma questão genética ( de família) não é mau feitio.

 Ponto final. Para esse peditório já dei ..!
Dizia-me o meu "mais que tudo " já farto destas minhas andanças tão contra a "cor" dele.
- Deixa-te disso... se tens ideias, coloca-as em pratica cá em casa sempre é mais seguro;)
 
E não é que tinha razão. É que tenho cada ideia…Assim como assim só se estraga uma casa.
Mas não é que ainda continuo a acreditar que a politica é um emprego de futuro..?
 
Vá se lá saber porque...!

E vai um cafezinho…??

 

publicado às 16:14


É o último..!

por R.Cheiros, em 11.03.09

Quatro em um arruma-se o assunto e não se fala mais nisso, pode ser?


Não estava esquecido, só a espera de melhor oportunidade … e como antes tarde do que nunca , aqui ficam os “selitos” e o desafio  com que o Cheiros foi contemplado.

Há "Paula C" já agradeci e como lhe tinha dito já tinha postado este mesmo selo, inevitavelmente acabamos por nos repetir. Mas aqui fica a notinha..

Obrigada Paula!
"Princesa"… Gostei dos prémios mas .. Quem é o Filipe pá? Se estou na mira dele com aquele olhinho azul há que ter cuidado..
Gostei dos corações, sou uma romântica.. gracias;)

 

 

 

PS: não me levem a mal, mas não me passem mais desafios ou prémios, pode ser?
Se continuarem a oferecer eu não ou vou postar, portanto não fiquem zangadas
.

 

 

publicado às 10:40


A ti… ( amizade)

por R.Cheiros, em 10.03.09

 Existe coisa melhor do que a vida… viver..!
A vida é simples e fantástica mas nós teimamos e complicar é quase como diz a minha mãe “ não inventes… não procures cabelo em ovo..” E não é que ela tem razão! Alias como sempre, é uma mulher sábia.
Hoje acordei, cedo como é meu habito abri a janela e Voilà… o dia está lindo e todo há minha espera. Tenho este péssimo habito de achar que o dia nasce para mim..
De caneca de café na mão, sai ( gosto de tomar café do lado de fora )aqui ainda se consegue ouvir o chilrear dos pássaros longe do barulho dos carros.( continuo a ser uma “miúda “ da aldeia)Olho a minha frente, e acho tudo lindo.. até onde a minha vista alcança.
Sento-me numa cadeira acendo um cigarro e  sorrio,  recordo-me do meu primeiro pensamento do dia. ( foi para uma amiga)

 

Gosto de pessoas, já o disse aqui variadíssimas vezes que gosto de pessoas!

Não de um determinado tipo de pessoas com esta ou aquela característica não tenho um estereótipo pré definido ,   mas de pessoas de modo geral.
Para mim , não sei se certo ou errado o que a vida tem de melhor  ou a minha definição de  “viver bem” não passa por  ter uma casa com mais ou menos metros quadrados com ou sem jardim,  ter o carro mais XPTO  topo de gama , muitos menos o numero de €€€.

O bom  da vida  são as pessoas, pessoas que se cruzam na nossa vida os momentos vividos e os as emoções partilhadas.


 Não existem duas pessoas iguais, logo não existem visões iguais sobre as coisas, penso eu de que… Cada pessoa é única e têm uma maneira muito própria de percepcionar o mundo e a vida, logo cada pessoa tem uma forma própria de ver e sentir… a “amizade”.

 

O que é um amigo? O que será a amizade?

 

Procurei no dicionário a palavra (amizade)  e esta foi a melhor definição que encontrei ou a que mais me agradou : A amizade é uma das mais comuns relações interpessoais que a maioria dos seres humanos tem na vida.  "é a aceitação de cada um como realmente ele é".

 

 Isto leva-me a outro ponto, separar o trigo do joio … quem são realmente os meus amigos?

Obviamente que nem todas as pessoas são nossas amigas… muito menos é meu amigo quem quer!


Existem pré requisitos para a amizade? A amizade genuína exige presença assídua e física, tempo, sins constantes, desculpas..?

Não, na minha modesta opinião que vale o que vale… a amizade é precisamente o contrario. Nunca se agradece a um amigo por partilhar as alegrias ou as angustias (porque todos as temos) a amizade é isso mesmo partilha e confiança.  Nunca digo adeus a um amigo mas sim até já… podemos estar meses sem nos falarmos mas sei que está ali para me ouvir se precisar.. 


A presença física não é de todo o mais importante… não, não é. A importância está na disponibilidade para me ouvir (um dia da caça outro do caçador.. que é o mesmo que dizer um dia tua outro eu) e ter a sinceridade de dizer: estás completamente errada.

Na amizade não existem desculpas de ausências… porque se for genuína vence todas as diferenças, todos os defeitos e todas as divergências e jamais termina. Se termina foi porque nunca existiu. Não se iludam!!

 

Nem tudo são rosas… também já levei algumas rasteiras. Mas se há coisa que eu aprendi ao longo da vida é que nem toda a gente e digna de confiança.


Amigos verdadeiros, descobrem-se e revelam-se “as escuras” podem estar longe mas sempre perto… ao alcance de um telefonema.

Uma das coisas que mais prazer me dá  é perceber um amigo feliz e foi precisamente isso que hoje me levou a escrever este post tão “serio”.

Uma amiga que prezo muito uma grande mulher que conquistou o meu respeito e a minha total confiança pelo modo claro que esta na vida e como arregaçou as mangas contra algumas "advertências." (não vou dizer nomes porque ela sabem quem é)


Pessoas que se cruzam na nossa vida são muitas, mas que deixam alguma coisa são pouquíssimas. Assim, para mim uma amizade é mais do que o convívio entre pessoas, mais que lembrar do aniversário ou oferecer prendas no  Natal…  vai muito além disso!

 

Somos por natureza animais sociais e precisamos naturalmente de nós relacionar. De amar de conversar de nos sentir aconchegados e apoiados.
Não existe pior sensação do que perceber que o tal amigo, ou que o considerava como tal, se revela uma fraude… fiz uma amizade recente que passei a valorizar como as mais “antigas” aprendi a entender, conhecer, e sobretudo respeitar apesar de todas as nossas diferenças.

 

As minhas amizades têm um espaço especial na minha vida. Podemos não falar todos os dias.. Mas não é esse facto que me provoca amnésia.
 (curiosamente no dicionário a seguir à definição de amizade vem a de amnésia!!)


As todas as pessoas da minha vida e principalmente aos meus amigos ,  e a (ela )bem hajam por existirem e tenho o maior orgulho que me chamem de amiga!

 

publicado às 10:46

No meu tempo...
 Ele pensou  nessa frase,... O começo do discurso sobre comportamentos que desfiou para o filho, horas antes de sair de casa.
Estava a conduzir  a caminho do trabalho quando, parado no sinal vermelho, observou  um grupo de jovens adolescentes que atravessava a rua.  Rapazes  com as calças largas, um número bem maior que o corpo pedia , descidas, mostravam  as cuecas e raparigas  com as calças tão apertadas que pareciam não conseguir respirar, no mínimo um numero  a baixo, deformavam  o corpo ainda em formação.
 
Bem, esse, por certo, era é o  tempo deles...
 O tempo do “por que não...?”, sem entoação de pergunta e sim de uma afirmativa categórica.
 De fato, no tempo "dele" , esse “porque não!!!”, era a resposta e também o ponto final.
 
Constatou então, que a gramática havia mudado e nesta nova, os pingos nos “is” caíram, de vez, em desuso.
Lembrou da conversa  que tivera com o filho naquela manhã. Enquanto falava sobre o mau comportamento dele na escola e em família, o garoto expressava-se com monossílabos ou vocábulos em inglês.
 
Sentiu-se como numa   sala de conversas (chat) da internet. Com a sensasão de já  ter ultrapassando o número de letras permitido, onde já não adiantava insistir na mesma tecla.
Lá ia o seu filho, mochila as costas, pedaço de pão na mão, com um "anel" no  nariz   a "digitar" no ar um grande “FUI!” ...Como que a  bloquear o acesso a visitantes indesejável.
 
Ficou travado, no ecran  daquela cena, até então. Era como se o cursor do rato  estivesse congelado na sua cabeça. Deu-se conta que repetiu a mesma frase que o pai lhe dissera há tantos anos atrás:
“No meu tempo era assim e não assado”.
 
E uma sensação de impotência instalou-se-lhe   na  alma. Acaso não tenho  mais  tempo?
Então onde o perdi?
Só podia tê-lo perdido... pois não o vi terminar!
O que faz o tempo do "meu " filho não ser o "meu" também? Afinal, só havera  realmente, um tempo na vida? O tempo dos jovens?
 
Quando ele dizia: “no meu tempo”, parece que, automaticamente, um botão o tirava de circulação, limitando-o a um tempo que já se passara há muito... Mas, ao levar  a mão ao peito, o que era aquilo que ainda reconhecia a pulsar? e a pontada de expectativa diante do que tinha por viver?
Dos sonhos que ainda não haviam se tornado realidade... Dos planos esboçados num guardanapo  de papel  no café da manhã, ainda à pouco...
 
Aqueles jovens que atrevessavam  a rua carregavam a mesma atitude que um dia tivera. Um olhar indiferente para os adultos há  sua volta. Um ritmo novo no andar, como se afrontassem o silêncio dos comedidos, com seus passos sem pressa de chegar.
 
Talvez por que chegar não fosse tão interessante quanto era o passeio... Isto "ele" lembrava-se de  ter sentido, mesmo que não concebesse que o tinha  sentido na época. Mas agora, sob a calvície adquirida pela idade, de homem que vive a correr  atrás do futuro e deixa o presente sempre no passado, o pensamento naquela sensação quase a trouxe de volta e por pouco não deixou o carro para seguir a pé...É  que  o  que o acorrentava àquele banco era, talvez por ironia do universo  o tempo. ..
Esse roteiro pontual da vida que nos põe adiante.
 
Sinal verde. Era hora de cumprir o tempo. Viu os adolescentes desaparecerem , no outro lado do passeio , no meio do ir e vir dos transeuntes e assentiu para si mesmo em concordância com o fato de que eles também precisavam seguir, mesmo sem perceberem que a alegria era trilhar o destino e não tê-lo prontinho na próxima parada.
 
Alguns minutos depois, chegou no escritório de contabilidade onde trabalhava.
Olhou o "tempo" na parede, estava na hora: deu o bom-dia de todos os  dias. Retomou o trabalho de tantos dias. Recebeu a incumbência do dia. Tomou o segundo café do   dia. Meio-dia comeu o prato do dia. Fim do dia deixou tudo em dia e  preparou-se para retornar a  casa que comprara um dia a prestações, que  se estendem até hoje , mas que são debitadas na  sua conta, automaticamente, no dia do vencimento. .
 
Então, como um balde de água fria, despertou  de todo o cansaço do expediente, enquanto procurava pelas chaves do carro, no estacionamento da empresa, chegou á conclusão   de que seu tempo não havia acabado.
A cada dia, ele estava lá a construir  o dia seguinte, possibilitando o amanhecer. Por que então aquele tempo não era seu?
Quem de fato o fazia acontecer?
Sorriu ... E ainda a sorrir  seguiu para casa, sem pressa, sem horas.. conduzia  o carro no tempo que agora voltara a ser dele.

 

O passado fugiu, o que esperas está ausente, mas o presente é teu. O teu tempo... Vive-o
(Provérbio árabe)

 

Miguel ,gracias

publicado às 21:30


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds