Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 

Este final da semana tem sido uma coisa que acho que não lembrava nem ao diabo. Está uma mulher muito bem a viver a sua a vidinha muito pacatamente, sim que eu cá nunca fiz mal a ninguém e sempre fui a alma mais pacata que se pode imaginar mas de repente desata tudo a descambar para o lado contrário do que será esperado e nós nem sequer podemos fazer nada senão esperar que a coisa passe. Em alternativa podíamos tentar virar o bico ao prego que é o mesmo que dizer: voltar atrás. Mas eu nunca fui tipa de voltar atrás e dar o dito por o não dito. Comigo foi sempre em frente que atrás vem gente e em frente é que é o caminho. Mas a confesso que neste momento já nem sei bem… Até tenho muitas duvidas…


Não, desta vez não são duvidas existenciais são mais duvidas sobre e praticamente: TUDO.

A começar pelo amor… ora mas que raio é que é o amor?

Com o peso dos anos e com a minha sabedoria, vou explicar o que é o amor. Pois eu digo-lhes já que acho que o amor é uma grandessíssima chatice! A gente fala fala é tudo boas intenções palavras bonitas frases feitas mas de boas intenções está o inferno cheio.


Porque esta coisa da gente se agarrar às pessoas de quem gosta, e nomeadamente aos homens, é uma grandessíssima estupidez porque eles acabam sempre por nos desiludir no momento que mais precisamos que fiquem do nosso lado. Depois quem fica a sofrer somos nós porque depositamos a nossa confiança e o nosso tal de amor nesses seres .

(depois há aqueles   mais ordinários que maltratam as  mulheres.Mas isso era outra conversa..)


Facto é que ninguém vive sem ele ou não quer viver. Então as mulheres parece que já trazem no ADN essa coisa gravada e todas sabem o que é ou para que serve o amor. Existem aquelas que acham que serve para lhes fazer filhos porque o relógio biológico acaba por dar sinal e mal por mal que se use o método tradicional essas são as maternalistas . Outras que serve para lhe pagar as contas ao final do mês são as materialistas claro está . As  que acham que o amor serve para tudo isso e muito mais...Que  é lindo até em uma cabana.


Mas convínhamos... Qual cabana qual que... A menos que seja uma cabana em alguma ilha do pacifico em algum resort de luxe ... Ai menos mal.


Ai Jesus com esta conversa de cabanas ilhas  não é que esta noite sonhei que estava no meio da selva em África? Eu  era a grande chefe duma tribo dessas que por lá há.

Sim porque isto comigo é assim...Mesmo em África no meio da selva não deixo de ser rainha. Apaparicada por todos para terem a minha atenção. Muita comida e bebida mas as tantas senti-me mal disposta a precisar de ajuda médica. Ó diabo mas quem é que me vem prestar os primeiros socorros.... Cruz credo nem quero ver!!!

Às tantas isto da má disposição foi alguma coisa que me deu a volta ao estômago, sim, porque o meu é do mais delicado que há que qualquer coisita menos fresca ou refinada  dá-me logo a volta.


Festas no meio da selva nunca mais. Aliás ando cá com uma urticária a tudo que tem a ver com África...

Ok, tem um lindo pôr do sol e África é linda e tal, mas pôr do sol pôr pôr do sol agora apetece-me que seja no Mónaco antes de um jantar de gala com um daqueles vestidos fantásticos Valentino ou coisa que o valha. Sim porque isto da idade está deixar-me cada vez mais egoísta e excêntrica materialista.

Não, não tipo “bibi” ou “xaxa” ou “lelecas” essas peruas futeis que a única ocupação que tem é ir a festas “mamar” uns acepipes um rissol aqui um croquete acolá para enganar o estômago porque a fomega é negra...

 

Sim porque eu posso ser pobre mas não sou burra e sei bem onde se encontram todas as coisas que eu sinto que mereço! Mais o género pois se me apetecesse ir até Itália ao Grand Hotel Plaza Roma passar uma noite ou ir jantar ao La tour d´argent a Paris . Ou ir escolher jóias e diamantes ao Tiffany’s ali à Quinta Avenida em Nova Iorque… Sim, porque eu sinto que mereço!


A modos que neste momento quando vou a Nova Iorque ( com o furreta do meu mais que tudo) contento-me com as compritas no chinatown. Sim porque não pensem que isto das lojas dos chineses tem exclusividade portuguesa... Pois não meus queridos amigos Nova Iorque já há muito tempo que tem para lá a suas chinesices e não há turista que se preze que não dê lá o seu pulinho e traga um souvenir:)) É mais ou menos o nosso Martim Moniz mas em chique e mais bem cheiroso.


Mas voltando ao amor e ao casamento. Ora o casamento não é nem mais nem menos que um acordo feito por ambas as partes depois de concordarem com todas as cláusulas do contrato e devidamente assinado. Depois é que a firma começa a laborar com os dois sócios ambos maioritária ou pelo menos deveriam de ser. Objectivo é que cresça e se multiplique. Mas como em qualquer firma os sócios além de terem direitos têm deveres iguais. Só com responsabilidade, honestidade, sinceridade e espírito de sacrifício é que se consegue.


O tempo passa pois que remédio que mesmo que a gente queira não o consegue parar. E como não somos parvas nem nada começamos a tirar as lentes cor de rosa e a ver com olhos de ver. Ora porque não me venham cá com tretas nada é perfeito e não existem “paraísos” perfeitos nem os fiscais...


A gente precisa de companhia masculina  isso não há como negar. Que a companhia seja "abastada", e inteligente ,sociável , solidário, companheiro, bom amante, carinhoso e que não compactuo com "coisas que nos irritem" Bem..com tanta qualidade acho que já estamos a entrar no reino da fantasia pura.

Depois de tanto investimento há sempre alguma coisa que falha com (.......) onde  depositamos a nossa confiança e o nosso amor.

A coisa até  correr bem de início e somos muito felizes e achamos que encontramos a pessoa que nos preenche mas com o passar dos anos e com o estupor do conhecimento íntimo e rotineiro, pois olhem, acaba sempre por estragar qualquer coisita!


Ficamos mais exigentes e há alturas que já tudo nos enerva. Se estão sempre a olhar para nós não deviam porque nos irritam. Se não olham ficamos mais danadas ainda. Se por ventura  fazem não deviam ter feito, ou pelo menos deviam ter pedido a nossa opinião. . Se não fazem caímos-lhes em cima com tudo...
É....com o passar dos anos  os  homens   mudam... e não é só  aquela zona que separa  o peito da .... outra parte mais conhecida e designada por pneu. Ou então somos nós....Em conversa com algumas amigas cheguei à conclusão que ou nós  afinamos por tudo e por nada ou aquele "gajo"a que até achámos piada agora existe só mesmo com o propósito de nos tirar do sério contrariar e nos  infernizar a cabeça.

 

Assim sendo considero-me injustiçada porque casei com o amor da minha vida e as vezes sinto que estou a dormir com o "inimigo".

Porque é que os estupores dos homens fazem questão de nos contrariar??

Hoje se me perguntarem se casei por amor ou por interesse não tenho duvidas que só pode ter sido por amor. É que hoje e neste momento (estou tão irritada) que interesse não lhe vejo nenhum.

 

Deixem-se de tretas quem nunca se sentiu injustiçada pelos ditos cujos...


 

publicado às 10:39

Nunca entendi por que as necessidades sexuais dos homens e das mulheres são tão diferentes.
Nunca entendi tudo isso de Marte e Vênus. E nunca entendi por que os homens pensam com a cabeça e as mulheres com o coração.
 
Vejam bem : Uma noite, da semana passada, a minha mulher e eu estávamos  na cama. Bom, começamos a ficar à vontade, fazer carinhos e, nesse momento, ela pára e fala: "Acho que agora não quero, só quero que  me abraces".
 
Eu falei: "O QUEEEEEÊÊ ???"
 
Ela falou: "Tu  não te  sabes  entender   as minhas necessidades emocionais como mulher".
 
Comecei a pensar no que podia ter falhado. No final, assumi que aquela noite não ia acontecer  nada, virei-me e dormi.
 
No dia seguinte fomos a um grande espaço comercial , do tipo Colombo, com muitas lojas dentro dele.

Dei uma volta enquanto ela experimentava três modelitos caríssimos. Como não se conseguia  decidir por um ou outro, disse-lhe para comprar os três. Então ela me disse  que precisava de uns sapatos que combinassem, a 80 € cada par... respondi que tudo bem.

Depois fomos à secção de joalharia, de onde saiu com uns brincos de diamantes.

Estava tão emocionada!

Deveria estar a pensando que fiquei louco, depois pensei  que me estava a  testar quando pediu uma raquete de ténis, porque nem ténis ela joga.

Acredito que acabei com seus esquemas e paradigmas quando falei que sim.

Ela estava quase excitada sexualmente de pois de tudo isso; tinham que ver a carinha dela, toda feliz!
 
Quando ela disse: "Vamos passar na caixa para pagar", tive dificuldade para me segurar quando lhe respondi: "Não, meu bem, acho que agora não quero comprar tudo isso".
 
Ela ficou pálida. E ainda lhe disse: "Só quero que tu  me abraces ".
 
Nesse  momento  começou a ficar com cara de querer me matar, disse-lhe: "Tu não  sabes  entender com as minhas necessidades financeiras como homem..."
 
Acredito que o sexo acabou para mim até o Natal de 2009...

 

(Um beijo ao João pelo e-mail)

 

publicado às 11:23


Casamentos,mentiras e tv

por R.Cheiros, em 08.09.08

 

O tempo passa pois que remédio que mesmo que a gente queira não o consegue parar.
Com a idade nós vamo-nos tornando mais exigentes, essa é que é essa, mas selectivos. E foi por esse motivo que evolui das televendas para outro canal bastante mais interessante nos dias em que perco o sono. Assim na onda do professor caramba. Ou seja este não é vidente mas sabe tudo sobre as maleitas da alma e comportamentos desviantes seja lá o que isso for.


O tal médico  é assim a modos que um bocado estúpido para os coitados dos “doentes” que se sujeitam a contar as suas maleitas ao vivo e a cores num programa de televisão. Que o melhor que têm é que nunca vão embora sem que o homenzinho acabe sempre por diagnosticar o mal de toda a gente e depois de muitos achaques descobre sempre que afinal a mal original era sempre por causas tão banais como má educação, infidelidades ou paternidades mal esclarecidas ou sei lá que mais, assim umas conclusões brilhantes.


Mas ontem lá no meio das parvoíces que o doutor costuma debitar houve uma que se me ficou assim no ouvido e não sei porquê entranhou-se-me assim de tal forma que passei toda a noite a matutar naquilo
.“Todos os casamentos felizes se baseiam em mentiras”.
Vá-se lá saber de onde terá o homem ido desencantar uma frase destas mas olha que pensando bem não sei se não será mesmo assim.


Propus-me analisar a frio o meu próprio caso
Primeiro que tudo impõe-se duas perguntinhas:
Primeira: Eu  sou feliz? Só depois de esclarecida essa parte posso passar há mentira.
Segunda : Eu minto? Sim,porque segundo o doutor os casamentos felizes são baseados em mentiras.
Então e os infelizes? Nem quero imaginar.....


Não querem ver que o estupor do médico tem alguma razão, estou aqui a pensar que se calhar feliz é  quem vive na mentira porque os infelizes são mais realistas.
A tanta lembrei-me de outra frase brilhante e não me lembro agora quem é o autor: A ignorância é a suprema felicidade. Que  é o mesmo que dizer mente para a frente desde que eu não saiba:)


A modos que me interrogo, então vivíamos uma mentira e no entanto somos felizes? É assim.??
 Feliz talvez não seja bem o termo certo. Mas com muitos momentos felizes. pelo menos fazemos a nossa vidinha como se nada fosse sem grandes discussões nem sobressaltos que lá nisso temos uma convivência agradável com respeito cumplicidade e nada disto é mentira! Até sexo, sim porque convêm temperar o corpo e nestas coisas do casamento convêm manter alguma actividade física, ai com algumas desculpas há mistura, porque a bem da verdade nem sempre a coisa se dá com vontade dos dois. Porque essa conversa que se ouve por ai, de que sexo e tal é o mais importante e se adormece e acorda a pensar nele é historia... Sejamos realistas existe muita ficção em torno do sexo. bom... E pelo menos da minha parte ainda com muito amor..


Sim da minha parte. Porque isto da mentira já me deixou com a pulga atrás da orelha...
E vai dai começo a pensar que só  posso falar por mim sei lá o que é que o meu-mais-que tudo pensa? Ou há quanto tempo me anda a mentir.


Mas será mesmo que os casamentos mais felizes são-no apenas e só aparentemente?
É que ultimamente tenho-me andado a debruçar sobre estes assuntos  empolgantes Tal qual  uma agatha christie de trazer por casa e ainda acabo por descobrir que nem tudo o que parece é.
A gente pensa uma coisa sobre alguém, e depois vai-se a ver o buraco é mais em baixo e sai tudo ao contrário!


Bem, saber se os casamentos felizes são feitos de mentira  e resultam é porque  alguém  lá no fundo mente porque até quer que a  coisa resulte e a gente acreditando fica feliz.
Mas vistas bem as coisas um casamento é feito a dois. Que é o mesmo que dizer existe mentira de parte a parte, certo?


Será que estas imagens que as outras pessoas nos transmitem e nós transmitimos aos outros são uma mentira  propositada, ou não?
Se são propositadas então fico-me algo estarrecida porque nesta altura da minha vida vir a saber que o meu mais-que-tudo me mente e eu a ele  e de forma  intencional é uma coisa difícil de se aceitar assim às primeiras! 
Porque no dia-a-dia a mentira já se tornou banal. Na vida, está bem ,que há e sempre haverá aqueles   pintas  que pintas  nasceram e pintas  morrerão e em relação a esses a gente até lhe tirar as medidas e percebe logo que o que sai daquelas  bocas  é para fazer delete e ir directo para o nosso caixote de lixo mental é um segundo.


Agora descobrir que o nosso  mais-que-tudo  durante e longos longos anos nos engana  e quanto mais enganadas mais felizes nos sentimos,  é o choque pois claro porque achávamos que já conhecíamos aquele fulano tão bem e afinal vai-se a ver e que nada!
Ando muito desconfiada ultimamente, é o que é!
Querem ver que estou a viver uma mentira e eu própria sou uma mentirosa?! Isto porque cheguei a conclusão que afinal sou feliz. calma... Nada de precipitações, feliz não, tenho muitos momentos felizes. Porque isto de as 3 da matina estar a ver o este tipo de programas  provoca-me uma série de duvidas existenciais:)


 E mais o raio do doutor da televisão que ainda por cima é feio que se farta como uma ave depenada   daqueles meio carecas que lhes faltam as penas no pescoço e que parece que estão entre a vida e a morte. E mais esta descoberta que possivelmente vivo na mentira  faz-me sentir  francamente enjoada.
E como disse de inicio, O tempo passa ,pois que remédio, que mesmo que a gente queira não o consegue parar, o tempo  voa e as coisas acontecem demasiado depressa e eu qualquer dia entro em choque comigo mesma e com a sorte que tenho não se encontra por perto  nenhum médico  como àquele dos diagnósticos diferenciais e eu vou-me mesmo desta para melhor ou pelo menos para uma diferente;)

 

Fim-de-semana no Avante tirou-me o sono e deu-me para isto..
E a dúvida mantém-se:

"Todos os casamentos felizes se baseiam em mentiras”??.



 

publicado às 11:11


'A arte da rapidinha'

por R.Cheiros, em 01.09.08

 

"Rapidinha da manhã"

Existia um programa de radio que tinha a "rapidinha" da manhã não sei se alguém se lembra..??
"Rapidinha" ou sexo sem preliminares.

Não, não era sexo radiofónico. Era uma piada curta ou "rapidinha" sempre com muito humor.
Dizem que uma rapidinha tem o poder milagroso de animar alguns casamentos, e não só..

 

Um livro recém-lançado nos Estados Unidos diz que as "rapidinhas" são importantes para manter a vida a dois em dia. Vejam como aproveitar ao máximo esses minutinhos

 

Na correria do dia-a-dia, nem sempre sobra tempo e disposição para preparar aquela noite romantica e embarcar em uma  maratona sexual a dois.

Mas isso não é desculpa para se esquecer  do prazer, defende o psicólogo americano "Joel D. Block " no livro 'The Art of the Quickie' (em português, 'A arte da rapidinha'), recém-lançado nos Estados Unidos.

Ele recomenda que, em vez de se aguardar o momento perfeito, com velas acesas, lingerie sensual, tempo de sobra e energia a mil, os casais mantenham a mente aberta para aproveitar as oportunidades menos óbvias de se divertir na cama (ou no sofá, no carro, no elevador…). Mesmo que seja vapt-vupt.

A "rapidinha", nome dado ao sexo não planejado e sem preliminares, às vezes feito num lugar impróprio e geralmente com hora para terminar, pode ser um antídoto para fugir da rotina. Para aproveitar os  benefícios, não é preciso muito mais do que alguns minutos antes do trabalho ou uma escapada até á casa de banho durante uma festa.

'Sexo rápido não é uma opção, é uma necessidade', afirma Block.

'Claro que ele não deve ser o único contacto do casal, mas é uma óptima maneira de manter a paixão acesa e o desejo em alta.'

Não existe um relacionamento completo sem "rapidinhas". 'Elas fazem parte da intimidade do casal'.

Uma "rapidinha" pela manhã dá ânimo e ainda funciona como aquecimento para uma noite inesquecível. A ideia não é esquecer as sessões feitas com calma, e sim combiná-las com as "rapidinhas"

É preciso resgatar as respostas sexuais, como o gostoso arrepio na nuca, o desejo incontrolável após muitos beijos e o tremor do corpo ao ser tocado',  'Devemos manter a sexualidade sempre vibrante para evitar que o desgaste do dia-a-dia leve os casais a ser somente bons amigos e ex-amantes' 

E  a piada das "rapidinhas" está em aproveitar o efeito afrodisíaco de fazer algo proibido, seja pelo medo de ser descoberta, seja pelo risco de chegar atrasada naquela reunião importantíssima.


Confiram algumas dicas do livro 'The Art of the Quickie'

1. Não deixem o  trabalho todo para ele.

Tomar  iniciativa a fará sentir-se mais poderosa, além de estimular as fantasias dele.

2. Amplie sua definição de sexo.

Ele não precisa sempre ter todos os passos para ser bom.

3. Parem de esperar o momento perfeito.

Se o desejo surge enquanto ele está a fazer a barba, por que não aproveitar?

4. Não pensem apenas nos orgasmos.

Não é obrigatório tê-los sempre. Deixem essas preocupações de lado pode até mesmo ajudar  a chegar lá com mais facilidade.

5. Esqueçam os detalhes.

Simplesmente sigam os instintos e façam o que vos der vontade. Não tem a depilação feita?? Deixem isso de lado e aproveitem  o momento.

Quase que me apetece dizer: Uma por dia nem sabe o bem que lhe fazia !!

 

publicado às 09:15


Besame Mucho

por R.Cheiros, em 23.08.08

Hoje quero dizer que te amo.

Sei que nunca te passaria pela cabeça vir ler “isto “mas apetece-me partilhar o meu “estado” de alma.

Dizer obrigado pela semana fantástica
"Tudo que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível."
 Que “eras” és a felicidade que eu” tinha” tenho em mãos e por vezes me esqueço
Hoje ao fim de 27 anos apetece-me dizer que ainda me fazes corar que ainda me surpreendes.
Ainda estou apaixonada!
A maior felicidade é a certeza de sermos amados apesar de ser como somos."

 

 

 

Esta musica se a pudesses ouvir agora de certeza que também lembraria a  (....) semana…  .

Amem muito é o melhor que se leva desta vida

publicado às 22:54


Casamos?

por R.Cheiros, em 08.07.08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Num dos tais blogues que gosto de ler encontrei um post que me espicaçou..
O casamento...
O casamento tanto se fala nele é praticado por milhões de pessoas em todo o mundo. Mal falado por muitas e aplaudido por outras tantas..
Será fácil falar de casamento? Pois não sei, muito menos se serei a pessoa indicada para falar disso, mas quase 28 anos de prática se não me dão doutoramento pelo menos tenho licenciatura.
Mas é  um tema complicado, isso  é verdade, até porque não existem dois iguais.

Quem não tem um, quer a todo custo casar. Quem está dentro de um casamento, questiona-se frequentemente porque casou. Mas salvo raras excepções todos anseiam por passar por ele.
Podemos ver o casamento de muitas formas.. umas mais romanticas outras menos , mas a realidade é só uma.
O casamento é um contrato entre o estado e duas pessoas tradicionalmente com o objectivo de constituir família.
Porque o amor ,esse não exige assinatura ou papel passado essa é a parte do contrato que a sociedade nos impõe.
Mas quando  duas pessoas se amam de verdade, tambem é  natural o desejo de unir e partilhar as suas vidas para sempre? E sendo tão grande um amor assim, tambem é  natural o desejo de o tornar "oficialmente" conhecido das outras pessoas, através de um gesto muito especial, o casamento.

Casamos todos com  a convicção que este  "casamento" é o acertado.Mas a verdade é que cada vez dura menos
Porque? Pois não sei mas talvez falte a palavra-chave em muitos casamentos "paciência" ou cumplicidade como lhe quiserem chamar... Não é a mesma coisa? Quem disse??
Um casamento constrói-se tal e qual como outra coisa qualquer.

Eu pergunto-me se fazemos esforço para alcançar um determinado "estatuto" dentro da nossa profissão se queremos sempre mais ir mais longe chegar ao topo em determinada carreira e para isso fazemos por vezes enormes sacrifícios, tipo: Trabalhamos horas a mais, abdicamos de férias, fazemos verdadeiro esforço para lá chegar conquistar um lugar ao "sol" .

Hoje em dia no casamento parece-me que acontece precisamente o contrario.

Casamos com a ideia romântica de que tudo é perfeito. Mas como na vida nada é perfeito na primeira discussão ou desentendimento é mais fácil começar com guerrilha e pensar em acabar uma coisa que desejamos tanto nos entregamos de corpo e alma de deixamos sem lutar...
Nada é para sempre e não existem amores eternos, claro que não nem nós somos eternos e quando o amor acaba não adianta chover no molhado..
Mas como não acredito que o ser humano seja tão volúvel como agora quer fazer parecer, e também me parece a mim altamente duvidoso que alguém que casa tão perdidamente apaixonado em pouco menos de nada acabe todo o amor... será?
O casamento é sobretudo AMOR companheirismo tolerância e essencialmente respeito. O respeito não passou de moda nem vai passar porque é dos valores de formação só respeitando podes ser respeitado.
Não tenho obrigatoriamente que estar casada com o meu melhor amigo, porque somos pessoas e precisamos de outras pessoas não só dos nossos parceiros.
Podemos ter os nossos segredos as nossa pequenas coisas sem deixar de ser cúmplices porque nenhum casamento é uma ilha nem um casal são dois náufragos para viverem isolados.

Na minha opinião o casamento é uma sociedade feita por dois sócios maioritários com o objectivo de levar a empresa cada vez mais longe de forma a que de Lucro = Prazer para ambos.

Como em todas as empresas fazem parte as discussões, o mau humor, a saturação, as dúvidas, ate a descrença mas enquanto houver Objectivo = Amor tudo vale a pena e todas as dúvidas podem ser debatidas em Assembleia Geral =Conversa a dois.

Normalmente no final da Reunião = Conversa e revistos o Objectivos = O Amor chega-se a um Consenso por Maioria = Fazer as Pazes que é sempre a parte melhor.

Há quem diga que no início tudo é perfeito mas temos tendência a mudar com o casamento. Claro que é verdade e ainda bem que assim é.
Nós escrevemos a nossa própria história e nem sempre ou "nunca" é como nos contos de fadas.

Como tudo na vida também o casamento exige sacrifícios mas dá-nos regalias inigualáveis.

Nas como pessoas mudamos evoluímos e aprendemos todos os dias, temos sonhos, desejos e nem sempre trilhamos o mesmo caminho.

Mas posso garantir que se houver amor os dois caminhos acabam no mesmo sitio...
Os anos acrescentam coisas, pormenores... Cumplicidade no olhar , ler os silêncios, serenidade, e principalmente a dar espaço.
É mentira que os anos de casamento acaba com a vida sexual ou que passamos a dormir de costa, tenham dó...
Não, não tenho o casamento perfeito , até porque isso não existe.
Tenho zangas, dividas , desamores , raiva ... mas tenho muito amor e não sou nenhum ser iluminado mas é assim que vejo o casamento.
Das frases mais imbecis que já ouvi e prenunciei:
Acho simplista e um pouco fora da realidade
"Prometo ser-te fiel amar-te e respeitar, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, por todos os dias da nossa vida até que a morte nos separe"
 Em alternativa eu diria: prometo respeitar-te como ser humano e amar-te enquanto nos sentirmos felizes ate que a falta de amor nos separe.
 

Sim existem casos e casos e quando não dá mais... azarucho e cada um vai há sua vidinha.

Hoje por exemplo estou capaz de esganar o ditador prepotente e arrogante com quem partilho a minha vida mas também estou capaz de o amar muito:)

 

 

publicado às 12:25


Motel

por R.Cheiros, em 20.06.08

 

Rosa não se aguentou e contou à Lurdes:

 

- Viram o teu marido  a entrar num motel.


A Lurdes abriu a boca e arregalou os olhos. Ficou assim, uma estátua de espanto,durante um minuto, um minuto e meio. Depois pediu detalhes.


 - Quando? Onde? Com quem?

- Ontem. No Discretíssimu's.

- Com quem? Com quem?

- Isso eu não sei.

- Mas como? Era alta? Magra? Loira? Coxa de uma perna?

- Não sei, Lu.

- Carlos Alberto me paga. Ah, se me paga.

Quando o Carlos Alberto chegou a casa Lurdes anunciou que iria deixá-lo e contou por quê.

- Mas que história é essa, Lurdes? Tu sabes quem era a mulher que estava comigo no motel. Eras tu!

- Pois é. Maldita hora em que aceitei ir. - Discretíssimu's! Toda a cidade ficou a saber. Ainda bem que não me identificaram.

- Pois e então..?

- Pois e então, que eu tenho que te deixar . Não vês? É o que todas as minhas amigas esperam que eu faça. Não sou mulher de ser enganada pelo marido e não reagir.

- Mas tu não foste enganada. Quem estava comigo eras tu!

- Mas elas não sabem disso!

- Eu não acredito, Lurdes! Tu vais cabar com o nosso casamento por isso? Por uma convenção?

- Vou!

Mais tarde, quando a Lurdes estava a sair de casa, com as malas, o Carlos Alberto ainterceptou-a. Estava sombrio:

- Acabo de receber um telefonema - disse. - Era o João.

- O que é que  ele queria?

-Fez mil rodeios, mas acabou por me contar. Disse que, como meu amigo, tinha que contar.

- O quê?

- Tu foste vista a sair do motel Discretíssimu's ontem, com um homem.

- O homem eras tu!

- Eu sei, mas eu não fui identificado.

- E não disseste que eras tu?

- O quê? Para que os meus amigos pensem que eu vou a motel com a minha própria mulher?

- Pois e então?

- Pois e então,desculpe, Lurdes, mas...

- Mas o quê???

- Vou ter que te dar uma tareia.

 

-Não vês? É o que todos os meus amios esperam que eu faça. Não sou homem de ser enganado pela mulher e não reagir.

 

Moral da historia:

A maneira mais fácil e mais segura de vivermos, consiste em sermos, na realidade, o que parecemos ser....
 

publicado às 10:10


Ai o amor..

por R.Cheiros, em 11.06.08

 

Hoje acordei assim... A pensar no amor,não sei se estou apaixonada ou piegas?

Ainda existe aquele amor "verdadeiro"...aquele que nos faz palpitar, tremer e corar apenas por vermos a pessoa amada?

Ou não passa tudo de mera atracção física e interesses? 

Consegue-se definir o amor??

Grandes pensadores dizem que o amor não é algo que possa ser descrito por palavras, mas sim algo inexplicável que se sente ao olhar para "aquela" pessoa.
Eu no início aprendi a amar os meus pais e irmãos,  amor era o que eu sinta por eles

e  eles sentiam o mesmo por mim.(Espero que ainda sintam)

Fui crescendo, quando me comecei a interessar por algum rapaz e comentava com a minha mãe ela dizia-me que era amor e que o meu coração iria bater mais depressa quando estivesse com ele.( e bateu algumas vezes)
Assim foi durante alguns anos ,tive alguns "amores" até encontrar o que me fazia o coração bater mais depressa e casar com ele. (isto era amor)
Depois... fui mãe , e  sem  precisar que alguém me dissesse algumam coisa, soube desde o início o que sentia pelo meu bébé era amor.

Todas estas fases por que passei na minha vida foram diferentes, dependendo da altura e das pessoas

Em alguns casos um acumular de amores ou amor.

O amor está em tudo o que nos rodeia (sem excepção) depende de nós ter capacidade de o sentir ou não.

Deve ser isto o amor , não será?Pode é ter varias vertentes e pode-se ligar amor e sexo ou não necessariamente!!

O sexo pode simplesmente partir do desejo ou da atracção e pode ser satisfatório. Desejo como uma fonte de satisfação.. o amor  até pode não estar presente ou não, existe até quem diga que:sexo é um  desejo de comer  uma  fome sentida e insaciada.

Quem é que nunca sentiu uma vontade inconsciente de comer até se farta? Só que... Mas depois a nossa atitude mental tem tendência a reprimir-nos.

Isto tem alguma coisa a ver com amor??? pode não ter absolutamente nada.

Ok a segurança emocional a afectividade o amor ajudam na entrega e na satisfação. 

Acredito mesmo que uma relação sexual é mais satisfatória e completa quando se dão num contexto de intimidade e afecto e amor.
Quando estamos emocionalmente envolvidos, descontraídos, de bem connosco e com a outra pessoa, a intensidade do toque as carícias tudo pode ser bem mais agradável, estimulante e sensual e o cheiro é muito importante....

Claro está, que cada pessoa sente de forma diferente 

Bom... mais isto é só o que eu acho e vale o que vale. Com o passar dos anos aprendi que mesmo o amor "romântico "homem mulher passa por várias fases pode ser vivido de formas diferentes.Aquela história do coração bater mais rápido o nervosismo e sangue aquecer e blá blá... Existe, claro que existe, mas...

Mas tambem existe um amor calmo, sereno e cúmplice. Perde-se muitas coisas é certo mas ganham-se outras,  em todas estas etapas da minha vida  houve sempre algo em comum, a boa-vontade, a simplicidade, honestidade, confiança que entreguei... 

Penso que o mais importante  que aprendi sobre o amor, é que ele é tudo o que me rodeia (sem excepção), e apenas dependia de mim sentir-me capaz de o sentir ou não.

Ele está sempre lá.
Cabe a cada um de nós decidir se o queremos ver ou não.

Entristece-me já não existir (se é que alguma vez existiu), o verdadeiro amor que dura uma vida....é que ainda sou uma romantica:) 

O verdadeiro amor não tem preço, idade, cor, posição social ou riqueza mas sim o respeito para com a pessoa amada e respeito pelo próximo mesmo com aquele que nos quer mal (claro não o deixando abusar)

O verdadeiro Amor existe, mas também existe o medo de amar. O medo de amar e sofrer por amor.

Porque amar não é amor e uma cabana, quando há amor e as pessoas se juntam as dificuldades surgem, e é nessa altura que devemos ser os melhores como amigos como namorados e como amantes.

Mas nem sempre tudo corre como deve ser. O ser Humano  na maioria das vezes não sabe ouvir o silêncio do outro, não compreende as  frustrações, e não se ajuda mutuamente  a sonhar.... Podem ser básicos no bom sentido, e tão complexos.

O verdadeiro Amor existe, quando realmente se  acredita no Amor

Mas o amor tambem acaba e o cupido tambem se engana.

 

PS: Alguem é servido???

 

publicado às 09:30


Teorias e manias

por R.Cheiros, em 06.06.08

 

Acho que ontem já tinha referido que a minha mãe é uma "sábia" ou seja não fala muito mas quando abre a boca tem o dom de arrasar.

Então cala-me sempre com esta frase: "A mania é pior que a doença."

Mas todos temos um pouco de mania e varias teorias ou não?
Eu cá sou uma gaja cheia de teorias. E acredito nelas até ao dia que me provarem que não são verdadeiras.

Tenho a teoria de que :

-A amizade é a aceitação de cada um como realmente ele é ;

-Amizades, as verdadeiras, são eternas; as pessoas não precisam necessariamente de se interessam pelo mesmo tema, para gostarem de partilhar momentos juntos;

-As pessoas mais apaixonadas não são necessariamente as que mais o demonstram, ou seja, os casais aparentemente “perfeitos” fazem-me “urticária” e desconfio sempre da aparente felicidade;

-As mulheres podem tornar-se facilmente amigas de um homem só pela companhia e amizade do outro;

-As pessoas por dinheiro transformam-se;

-Mas que tristezas não pagam dividas;

-Quem mais esperto se julga, mais facilmente é enganado;

-A sinceridade está em desuso que nas costas dos outros podemos ver as nossas;

-As pessoas tem várias mascaras dependendo do local e da companhia estando no emprego ou em casa;
- Que as pessoas com um copo a mais fazem exactamente o que a coragem lhes falta para fazer quando estão sóbrias;

-E que as mágoas não se afogam em copos nem em xanax;

-Nada acontece por acaso;

-As coincidências existem e explicam muita coisa;

-Normalmente o que parece não é;

-A minha intuição nunca ou raramente se engana ;

-Detesto ter sempre razão mas tenho;

-Quem cala consente é das maiores mentiras ;

-Que quem se cala não se entala é completamente errado;

-O amor à primeira vez existe porque quando olhamos duas ou três detestamos;

-Quando se gosta de duas pessoas ao mesmo tempo não se gosta de nenhuma;

-Não existem pessoas felizes, nem vidas perfeitas;

-O amor é eterno enquanto dura;

-Sexo e amor não andam  obrigatoriamente de mãos dadas;

-Amor não implica sexo;

-Sexo e amor é a união perfeita;

-Que o desejo aparece quando menos se espera;

-Quando uma das partes se anula a outra tem consentimento prévio para seguir em frente;

-O casamento é um contrato que deveria ter os estatutos actualizados de 5 em 5 anos;

-Grandes machões são os primeiros a serem facilmente dominados pela “cara-metade”

-Que não se devem engolir sapos;

-E que  é preferível  uma verdade dolorosa que uma mentira piedosa;
-A minha vida é uma merdinha e não uma merda como eu tantas vezes digo;

-Meninas com ar certinho são sempre as piores;

-Brincar com o fogo é muito bom;

-Afelicidade são pequenos momentos;
 

publicado às 11:40


Eu estranhamente lucida

por R.Cheiros, em 03.06.08

 

(Hoje não fales comigo!!!!)


Um amigo meu que não via há imenso tempo virou-se para mim e disse-me que eu estava com ar misterioso (que segredo escondes?). Ri-me e disse-lhe que era doido. A minha vida é um livro aberto.

Digo sempre o que penso, não fujo de uma boa conversa, nem sequer de uma boa discussão.

Começamos com um jogo de palavras. Uma espécie de  flirtar (aquele jogo do conhecimento em que cada um vai dando um passo no sentido de descobrir o outro e vice-versa). É.  Impossível que alguém que te rodeia não não notar que não estas feliz.

Não estou feliz....??
Dou comigo a pensar em mim...

Há quanto tempo não me analiso e não para para me “olhar “com olhos de ver.

Porém esta semana, alguém que nem sequer me conhece muito bem assim  disse-me que há situações em que fujo. Em que me escondo. E a minha melhor amiga, que me conhece como ninguém, ainda acrescentou que jogo sempre à defesa. Que reajo mal perante os elogios.
Confesso que fiquei a pensar no tema. E é verdade.
No meu círculo de amigos e conhecidos, tenho um rosto uma identidade, sou a (...) companheira, alegre, equilibrada e que sei ouvir, amiga para todas as horas. 
No meu trabalho com os "colegas" dizem que sou, ordeira e organizada. (A sério? Olha que não...) competente, as pessoas vêem-me como teimosa e determinada na verdade tenho uma personalidade um pouco dominante, em especial no local de trabalho.

Em casa sou...a que que vive no mundo da lua, dizem que tenho uma imaginação muito activa. Pouco realista, despistada, por vezes autoritária e arrogante (Por vezes).

Na rua sou "aquela"...  Ninguém, apenas mais uma pessoa entre milhares mas continuo a não ser ninguém, posso passar uma imagem confiante, e agressiva, mas sou mais uma no meio da multidão . 
E aqui (neste espaço)não sou nada, nem ninguém... 
Assim é tão fácil falar de sentimentos, de mim, de nós, das nossas frustrações, amores desamores, dos desencantos, dos sonhos, desejos e esperanças. 
Que me julguem...estou pouco me lixando. Pouco me importasse se  alguém me lê. É me completamente indiferente, estou-me completamente nas tintas para o que alguém possa pensar de mim... Até porque aqui não sou nada, apenas palavras, louca... ? Sim talvez.

Mas para que me serve a merda de um blogue se não poder gritar o que me apetecer?? Coisas bonitas e bem comportadas já escreve meio mundo e não estou a pedir a ninguém para me ler... eu nunca fui politicamente correcta nem certinha portanto que se lixe.. 
Possivelmente tenho uma maneira de ver o mundo diferente da maioria das pessoas, até porque não existem duas pessoas iguais.

Estou um bocado farta de tudo "isto" que me envolve, uma vidinha de classe média onde parece que tudo nos é imposto e pré-determinado, cheia de regras, e falsos moralismos.
Olha que isto fica mal, olha que aquilo não é adequado, isso não é para a tua idade... Não deverias fazer assim... 
Sinto-me a sufocar e a precisar de "espaço" o meu espaço o meu tempo, os meus gostos onde seja eu mesma sem me estar a preocupar que "fica bem ou não" tenho vontade de mandar a merda todas as regras e convenções a que fui sujeita durante anos, a deixar de me preocupar com o que os outros pensam e pensar mais em mim.

Estou farta de pessoinhas perfeitas palavras de circunstância escolhidas a dedo ... Hipocrisia e falta de verdade.
Mentiras... Um chorrilho de mentiras porque ninguém é perfeito e todos temos momentos de nos apetece gritar que estamos fartos, ou não??
Farta de ler coisas perfeitas... E então onde são os outros, os imperfeitos?

Pensar se estou feliz.... se é isto que eu quero para minha vida.

Porque será que perdemos o habito de nos analisar??

Cheguei a conclusão que o que faz o impedimento é o medo de tomar conhecimento com a realidade e de descobrir que estagnamos em alguns pontos da nossa vida.

Temos sempre a mania de pensar que a “galinha da minha vizinha”é sempre melhor do que a minha...

Mas todos têm duvidas, problemas , e normalmente existem dois caminhos, ou falamos deles e exorcizamos todos os fantasmas ou vamo-nos acomodando e deixando de viver. Depois de muito pensar cheguei à conclusão que tenho “tudo”....

Depois de 25 anos de vida em comum  olho para trás e realizei todas as metas ...namorei muito, construi uma família, solidifiquei-me a nível profissional ,realizei os sonhos matérias e viajei. (tenho uma vida invejável..)

Mas realizei os sonhos que realmente importam?

Hoje agora neste momento que já vivi mais de metade da minha existência, sinto-me totalmente realizada?

Sendo realista...

A ti meu amor, porque hoje....
Sinto  marasmo que se transformou a minha vida, sinto-me pouco mais do que um dado adquirido.

Onde já não existe a necessidade de investir, conversas banais, tantas vezes de circunstância.

Como se tivéssemos a seguir algum guiam escrito por nós mesmos há muitos anos.

 Sinto-me a jogar completamente na defensiva nas relações amorosas.

Temos ao nossos momentos que me parecem cada vez mais fugazes..começo a descobrir coisas em mim que desconhecia.

Já não gosto de expectativas.

Não gosto de me sentir a precisar de alguém.

Já não me consigo expor como dantes. Atormentam-me as dependências, depender de alguém.. não sequer sei porquê.

Já não gosto de dizer: Amo-te não que não te amo porque não posso negar que ainda te amo mas a palavras fazem-me alguma confusão.

Não gosto de elogios principalmente relacionados com a minha vida pessoal, e responde invariavelmente a desconversar. 
Eu quero mais...espero mais da minha vida, tenho sonhos. 
É impossível manter uma conversa quando dois não querem, passa a ser um monólogo, quando não se quer ver que não está tudo bem. Sinto-me tantas vezes como se estivesse a falar para uma "parede".

Pormenores, pormenores que saltam a vista...

Pergunto-me onde foi que nos perdemos? E porque raio não te questionas tu?

Faltamos alma... Paixão, desejo... O sexo passou a ser como que uma obrigação, faz parte, não é?

Não te acuso de nada, nem vais ler isto... É mais um desabafo meu, porque a culpa nunca é só de um, ambos somos culpados, possivelmente passamos tempo demais a olhar para nós mesmos sem nos preocuparmos com o  pormenor que é (nós dois)
É uma sensação de dualidade, uma parte de mim que me diz que ainda vale a pena que não devo desistir que são fases da vida e que tudo vai mudar, a outra parte tem vontade de mandar tudo as ortigas e dizer basta.
(Será que sou a única pessoa que se sente assim? Existem casamentos perfeitos?)

Não ,a galinha da minha vizinha  não é melhor do que a minha.... talvez nem a vizinha pare para apensar...
Gostaria de poder ler os teus pensamentos, descobrir para lá do que é visível.
Neste momento sinto-me presa, insegura e farta a sufocar em palavras
Isto já me passa!


  

publicado às 13:00


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D