Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O tempo não volta atrás… sem ideias!

por R.Cheiros, em 11.03.09

 Ando um bocadinho descorçoada com o blogue. Um bocadinho assim para o muito..


É do tempo..? Pois não sei, mas duvido.  Está  óptimo com um sol radioso. Reconheço que sou um bocadinho inconstante, mas só um pouquito, talvez as coisas não estejam a correr como deveriam.
Uma mulher "escalfasse" a trabalhar, armada em “escrava Isaura” quase como a mulher do padeiro de noite e de dia quando deveria receber os loiros vai-se a ver e tungas... Sai tudo ao contrário do que se espera.


Eu bem tento transmitir por aqui ânimo e confiança, e por enquanto ainda não considero que a minha missão seja uma missão impossível, embora esteja já a resvalar para uma missão de alto risco à medida que eu vejo o objectivo cada vez mais longínquo! Ele são empresas a fechar, desemprego, calotes que até arrepiam, etc.

 

É que eu sou mulher de cabelo preto (pintado é certo, porque isto os branco já não perdoam.. mas não sou burra! Sou razoavelmente "esperta" e até percebi logo que a crise que por ai tanto se fala é uma treta e é só para alguns...
O que está a dar é ser político, lembrem-se disso… a politica é um emprego de futuro.


A modos que sinceramente não tenho ideia nenhuma do que escrever aqui.

A verdade seja dita, nunca tive lá grande imaginação. Não, minto! Já tive…

Ouve uma altura da minha vida que tive a ideia brilhante de me juntar aos “meninos de deus”.  Paz e amor era o lema. Mas confesso que o que mais me atraia era o espírito livre a musica e dizer que era contra.. Contra as convenções o capitalismo, contra as regras … A coisa até não corria mal, até a minha mãe se "encher".... E ser contra a “roupa pouco limpa” e contra umas faltas à escola. O caldo entornou de vez quando cheguei a casa com a ideia peregrina de passar uma semana numa comunidade assim a modos que virada para o (hippie) .
 Nunca me lembro de ver o meu pai tão zangado… Sei que me disse na altura se o meu objectivo de vida era viver no meio do mato, que tinha lá na (terra) muito mato para roçar, era só por mãos há obra.  Lá se foi o meu lado aventureiro de rebelde sem causa..
 
Os mais novos não devem saber de todo que raio são estes “meninos de deus” mas os mais cotas da minha geração de certo já ouviram falar. Então era tipo de uma seita  que até acreditava em deus mas em moldes diferentes. Facilmente eram encontrados nas ruas de viola e cantorias. O lema era paz amor e natureza, viver uma vida nómada e comunitária.
Velhos tempos…já não volto a ter 15 anos …

 

Fiquei triste e  magoada, juro que fiquei.
Mas como tristezas não pagam dividas.. Para irritar principalmente o meu pai, quis ser freira. É verdade! Daquelas há séria … hábito, convento e tudo.  
Depois pensei melhor… O voto de silêncio era o que me estava a custar mais engolir. E aqui entre nós, na altura também conheci o meu “mais que tudo” e não quis deixar passar o meu estatuto de mulher e também sempre tinha um belo dum corpito a defender! Porque isto do corpo não se compadece só de rezas hóstias e a paz no mundo.

 
Mas mesmo assim, continuava  a acreditar  que podia salvar o mundo..  Ideias não me faltavam reconheço.


Pensei então que teria que virar as minhas baterias para outro lado… colei cartazes, distribui folhetos e muitos etcs…
Até um dia…! 
Nunca gostei de “pastores”, vá se lá saber porque… nunca fui “Maria vai com as outra” e acho que o que o ser humano tem de melhor é a diferença. Liberdade passa também por fazer o que acreditamos. 
Sempre gostei de conversas bonitas. Mas muito raramente "emprenho" por os ouvidos.   Estava quase quase  rendida, confesso. Sempre acreditei nos principios ( e isso agradeço ao meu pai) liberdade, igualdade, fraternidade. Depois a bem da verdade,  também não se comiam criancinhas ao pequeno-almoço.

 

Falava-se   tanto de igualdade, descriminação, direitos  das mulheres, direitos humanos, e além disso quando se acredita que  que podemos ser  todos "iguais" e  felizes  só podem ser bom, é ou não é?
Mas se calhar falta  mencionar qualquer coisita.. Assim tipo depois do blá blá blá que tal  passar à prática.
Chega de oportunismo e de dizer o que se quer ouvir.

Muita simpatia, muita generosidade, muita obrigação e muitas regra a seguir. Direito de escolha..? tem juízo tudo pelo bem do (…)
Mas que coisa… eu não sou livre?

 

Hum… chegou-me a mostarda ao nariz. Gosto de perguntar tirar duvidas… Mas havia sempre uma ou outra voz que se lembrava de dizer que o que eu tinha era arrogância e o nariz empinado. Bem contar factos não há argumentos.. Por acaso até tenho, mas posso garantir que é apenas uma questão genética ( de família) não é mau feitio.

 Ponto final. Para esse peditório já dei ..!
Dizia-me o meu "mais que tudo " já farto destas minhas andanças tão contra a "cor" dele.
- Deixa-te disso... se tens ideias, coloca-as em pratica cá em casa sempre é mais seguro;)
 
E não é que tinha razão. É que tenho cada ideia…Assim como assim só se estraga uma casa.
Mas não é que ainda continuo a acreditar que a politica é um emprego de futuro..?
 
Vá se lá saber porque...!

E vai um cafezinho…??

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:14

web counter free

Usuários online


8 comentários

De Subjectividades a 11.03.2009 às 16:55

Ò mulher Deus te dê sempre muita falha de ideias.....
Eu às vezes não acredito no que estou a ler
A parte mais hilariante (isto porque pelas outras todos passamos) é aquela da freira
Não te conhecia nessa altura mas nem com a melhor das boas vontades te imagino
Valha-nos Deus só não sei porque é que os teus Pais não tiveram os dois um AVC.....
Mas agora num registo mais sério não achas muito sinceramente que deveríamos voltar aqueles tempos!!
Não tão só para sermos do contra porque ainda hoje é isso que se espera da juventude mas caramba nenhum de nós está morto ainda!
Não digo por ideal mas para dar-mos uma sacudida no conformismo que se nos pegou neste cinzentismo em que nos debatemos??
A política é o emprego de futuro não sei não, se assim for então esses emergentes vão ter de emigrar...
Das duas uma ou vamos nós os da velha guarda que até já colamos autocolantes que fumamos as nossas ganzas e tocámos viola arregaçar as mangas e dizer basta ou da maneira que isto vai os nossos filhos ou netos não vão ter oportunidade de em tempo nenhum se juntarem (aos meninos de Deus). porque às tantas eles vendem o País e poem-no a render nalgum paraíso fiscal

Bjs

De R.Cheiros a 12.03.2009 às 09:04

Pois é.. de vez em quando tenho assim estas “brancas” e olha, é isto que sai!

Hilariante?? Na altura dava uma religiosa bem janota , que julgas… e ainda acreditava em muita coisa..

Graças a todos os santinhos nenhum deles teve “ataques” de maior, mas passaram alguns sustos :) mas dizem as más línguas que de 4 filhos eu fui a mais difícil.. Eu não acredito mas enfim

Sinceramente voltar no tempo não sei.
Mas tenho a certeza que os jovens de hoje vivem numa passividade inacreditável. Não se questionam não tem ideais é quase como aquela historia do “destino”.. É assim é assim não se fala mais nisso. Se tiverem discotecas e copos já se julgam a viver num mundo perfeito

A maioria das pessoas é tristes e resignadas. Olha, eu acho que faz falta a muita gente vontade de fazer alguma coisa por si mesmo, esquecem-se que o país que tanto se fala somos nós mesmos e nós que o fazemos..

Mais grave ainda, se por acaso aparece alguém diferente que não se enquadra nos padrõezinhos estereotipados que esta gente tem ,são no mínimo apelidados de loucos ( é um rotulo)
Pois eu lamento… até deus que foi deus também não agradou a todos… rótulos não me afligem nem me arranham. Eu vejo a vida com esperança não sou pessimista e acredito sinceramente que podemos mudar o rumo do” barco”, posso ser sonhadora mas sou assim…

Pois é, também fumei os meus charros admito;) colei alguns cartazes e distribui panfletos, mas creditas que voltava a fazer tudo de novo..:) faltam causas faltam interesses falta que se deixe de pensar só no nosso (mundinhos) e arriscar …

Entristece-me um bocado o rumo que as coisas estão a tomar, mas aprece que a tendência é essa mesmo. ..Isto já é um paraíso fiscal para alguns, um pais de impunidades para outros . Um país respeitado como já fomos , com as fronteiras mais antigas, anos de historia, estamos agora cauda da Europa

A política é sem dúvida o emprego de futuro, já viste a disputa que todos fazem pelo poleiro? Pelo bem do povo e do país? Pois sim… eu também acredito no coelhinho da pascoa!

Porra ,este comentário não se parece com nadanão te atrevas sequer apensar… claro que as ganzas foi há muito muito tempo.

Beijocas

De Sorrisoduplo a 12.03.2009 às 07:42

Muito irreverente… sim senhora. A saída do teu pai para ires roçar mato também está o máximo (foi remédio santo).
Também eu tive uma adolescência um pouco dada a ideias loucas e fazia parte de um grupo com ideias do género do teu… mas não foi fácil… irmãos mais velhos, rapazes, santinhos e aqui a filha (rapariga) mais nova não parava… não é fácil para os pais perceberem.

Imaginação não te falta e eu gosto sempre de ler o que escreves… Beijinho

De R.Cheiros a 12.03.2009 às 09:34

O meu pai era e ainda é ( porque está de saúde) uma pessoa simples e muito pratica, nunca foi pessoa de muitos rodeios … e quando falava os filhos sabiam que não tinham muita margem de manobra.. portanto nessas alturas não esticávamos a corda… Foi remédio santo sim senhora. Adoro o meu pai

Outros tempos.. Todos nós tivemos ideias peregrinas na nossa adolescência fazia parte. E que bom que foi… afinal só se vive uma vez, não é?

Tenho dias, tenho dias… mas acredites ou não já me ri sozinha a escrever este post e a lembrar-me de mim.

Beijocas


De O Gato a 12.03.2009 às 08:47

Olá
Gostei muito do teu texto, mas há sempre qualquer coisa que me chama a atenção.
Isso de chamar cotas é pá fazes-nos velhos. Mas nunca curti tanto como na adolescência apesar de ser novo, quarentas e uns pós.
Viver no campo como os hippies quem me dera, cada vez mais odeio a cidade, consumismo, violência, competição, e inveja não dão muito bem comigo.
Fizeste-me recordar tempos bons em que as pessoas se davam melhor. Essa de creres ser freira fez-me rir, gostei depois ainda dizem para aí que eu sou maluco, acho eu que há piores que eu.
Bj

De R.Cheiros a 12.03.2009 às 10:06

Olá gato;)

Bom observador.. Sabes que uma das coisa que não me assusta nem um bocadinho é a idade ou envelhecer, tenho medo sim de não chegar a velha. “Cota “ é a expressão que resolvi utilizar para dizer que no( BI) já não tenho 20 anos.

Eu digo o mesmo, embora a vida tenha sido sempre generosa comigo , nunca fui tão livre e aproveitei tanto a vida como na adolescência , mas acho que acontece a todos.
Claro que também sou nova , nunca gostei tanto de mim como agora:) possivelmente não andaremos muito longe em idade também tenho quarenta e uns trocos lagos;)

Viver com os hippies , hoje já não é uma ideia que me seduza por ai além.. mas viver no campo de preferência numa aldeia de interior não está fora de questão, alias, eu não vivo propriamente na cidade embora me desloque para cá todos os dias.

Recordar.. as pessoas não sei se eram diferentes, mas as prioridades os interesses eram outras, muito mais saudáveis do que hoje .

Só um bocadinho louca… mas uma loucura saudável! Resta-me acrescentar que a parte do querer ser freira era uma forma que encontrei para chatear o meu pai que me tinha cortado as bases

Beijocas

De jangadadecanela a 12.03.2009 às 14:35

olá Paula...

li e reli... e sabes que mais?... venha lá o cafézinho!

:)

um abraço
Luís

De R.Cheiros a 13.03.2009 às 09:18

Bom dia Luís
Pois não seja por isso… estão ambos convidados, se por ventura vierem par os meus lados;)
Outro abraço
Paula

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D