Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Efectivamente

por R.Cheiros, em 26.01.09

Sabem aqueles momentos em que nos sentamos e olhamos o  horizonte? Respiramos   profundamente... De repente  fazemos  contacto com nós mesmos . Sim, contacto! Nunca vós aconteceu?
Já pararam para pensar no significado da palavra contacto? Esses momentos não são tão comuns como se poderia imaginar. Na verdade arrisco-me a dizer que estes momentos estão em vias de extinção.
 
Ouve-se muito por ai essa conversa de que o ser humano moderno anda  distanciando do próximo, perdeu valores e princípios básicos, que as novas gerações tendem a desenvolver um tipo de  resistência a laços e afectos a desvalorizar o seu semelham-te, que se recusa a uma  reflexão da vida globalizada e capitalista. Talvez sim, mas não será esse um discurso de quem não se "vê" não se olha verdadeiramente a si próprio  mais há muito tempo?


De quem não sabe qual foi a última vez em que se deixou” ser” a si mesmo?

 

Depois de uma semana interessante e inesperada aconteceu um facto que me fez parar.. Um momento de contacto comigo mesmo, assim tipo quando cair a ficha, sabem como é?
Analisamos ponto por ponto, e descobrimos que tudo estive ali o tempo inteiro, dentro de nós, mas não conseguíssemos ver? Pois é. ..
 
Há um “quê “em cada um de nós.“De onde viemos e para onde vamos”

“Quem sou eu”...?

Sou a leal a honesta a desinteressada? Não.... Se me olhar com olhos de ver, se for sincera... Não!

Temos tendência a olharmo-nos superficialmente, só a capa.... E por isso não somos tão honestos quanto imaginamos ser. Não somos tão leais como pensamos e somos mais egoístas do que podemos assumir.

Por quê? Pois não sei...!!
A sociedade parece que faz questão de nós transformar em “clones” cópias uns dos outros... E eu detesto cópias.

Eu abomino pessoas boazinhas, perfeitinhas, honestíssimas... Parem lá para pensar...Não existem súper heróis, todos temos defeitos! A modéstia fica-nos muito bem, mas cuidado é muito ténue a linha ...! Modéstia de mais é vaidade.


E como um dia disse Miguel Torga:
Levem a vida a serio sem se levarem a vocês mesmos muito a serio.

 


Vá se lá saber porque, associei esta letra dos GNR ao post:)

 

Adoro o campo as arvores e as flores
Jarros e perpétuos amores
Que fiquem perto da esplanada de um bar
Pássaros estúpidos a esvoaçar
Adoro as pulgas dos cães
Todos os bichos do mato
O riso das crianças dos outros
Cágados de pernas para o ar

 

Efectivamente escuto as conversas
Importantes ou ambíguas
Aparentemente sem moralizar

 

Adoro as pêgas e os padrastos que passam
Finjo nem reparar
Na atitude tão clara e tão óbvia
De quem anda a engan(t)ar
Adoro esses ratos de esgoto
Que disfarçam ao pilar
Como se fossem mafiosos convictos
Habituados a controlar

 

Efectivamente gosto de aparência
Imponente ou inequívoca
Aparentemente sem moralizar

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:48


2 comentários

De JC a 27.01.2009 às 09:49

Oi
já acompanho o teu blog há bastante tempo mas não tenho por hábito comentar nem este nem nenhum mas hoje apeteceu-me dizer que te acho extremamente lucida e cada post vem para além das palavras escritas, parabens e continua que eu vou continuar a acompanhar-te.
João Costa

De semifrio a 27.01.2009 às 10:03

Efectivamente, o facto de te conseguires analisar e veres os teus defeitos já faz de ti uma miuda especial
Beijos da serra

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D