Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



(E a pensar numa longa conversa que tive ontem)

 

 O amor é um lugar estranho..
Mas hoje vou falar de amor. Não que seja grande especialista e entendida na matéria ,até nem tenho muito jeito com palavras bonitas ou sequer  tenho na manga alguma super teoria que possa surpreender...Nada disso, eu simplesmente amo... Amo o meu filho incondicionalmente, amo o meu “mais que tudo” amo a minha família a minha vida, e pequenos momentos e pormenores... Mas amo principalmente viver.


Hoje acordei com este dia feio enevoado e chuvoso e com pouca vontade seja para o que for, só ronha..

Mas ora bolas acordei, não foi? E melhor ainda, viva e de saúde.
A minha mãe a qualquer contrariedade tem o habito de rematar com: "é o destino"
O destino não é uma questão de chance é uma questão de escolha. Muito menos é uma coisa a ser esperada mas sim para ser alcançada.
 Se eu  pensar bem,qual destino qual que... a nossa vida é, toda ela, talhada por decisões que vamos tomando. Nada acontece por acaso tudo são circunstâncias que se criam em redor

 

Das mais pequenas decisões, às maiores, vamos fazendo os percursos, escolhendo o melhor meio para os percorrer. Com mais ou menos trambolhão, com lamentos ou simplesmente decidimos ser optimistas.
Invariavelmente as nossas escolhas recaem sempre no que “acreditamos”, gostamos, desejamos. Vivemos, do resultado dessas escolhas, por vezes boas, outras vezes más.
Nem sempre a escolha que nos parece a certa em determinado momento é o melhor para nós.

Ou talvez seja... Porque todos temos como princípio de vida fazer escolhas que nos fazem felizes.

Ok, até pode não ser para sempre, mas aqui entra a velha frase: Que seja eterno enquanto dure.
Mas não são todas estas escolhas, momentos, completos ou não com as quais construímos a nossa história de vida?


Desde que me entendo por gente, sempre me lembro de ouvir dizer que “Não podemos escolher de quem gostamos”. Óptimo! Ainda bem que assim é. Ainda bem que nós permitimos a errar que não procuramos só o ser "perfeito". Aqui entre nós, se tivéssemos hipótese de escolha, não cometeríamos erros?
Duvido muito... Até porque todos nós sem excepção tendemos a gostar da "canção do bandido" e por isso cometemos sistematicamente os mesmos mesmos erros, mas são erros que nos dão imenso prazer, certo??

Eu por mim falo, acho que a perfeição é monótona e desinteressante...A vida é feita de paradoxos, tentamos encontrar explicações para circunstâncias, momentos ou simplesmente querer saber o que nos faz sentir atraídos por determinada pessoa.

Será personalidade, carácter, tesão ..? O que é que nos faz ter interesse por determinada pessoa. Algumas que nós até sabemos que não são lá "aquela coisa"...


E porque é que existem pessoas que caem sistematicamente na canção do bandido/a? (Isto tanto nos afectos como na vida profissional e no dia a dia) É costume ouvir-se que aprendemos com os erros e que, de cada queda retiramos, umas quantas nódoas negras, uma aprendizagem que nos permite não cair novamente.

A questão é, se nos levantamos porque é que nos permitimos cair outra vez? Em relação ao amor tenho uma teoria simples: Porque o amor é um fenómeno que nos transcende.
No fim de contas, é isso que nos faz mover.. O amor..! Procuramos a pessoa "certa" o/a tal que esteja lá para os nossos pormenores, para os bons e os maus momentos.
E, invariavelmente, não está sempre... Isso é humanamente impossível. Desculpem mas é a minha opinião, temos momentos que estamos acompanhados por a pessoa mais fantástica e importante da nossa vida mas estas sós.... Mas o mais importante é que continua (ele/a) a tirar-nos o fôlego como nenhuma outra.

 

O amor só faz sentido se for espontâneo, só é mágico se tiver mistério Aconteceu e pronto... Para que procurar explicações para uma coisa tão simples que todos nós teimamos em complicar? Raio, porque é que eu gosto da pessoa (x) ou (y)?
Por que é que nos apaixonamos?
Vale a pena encontrar explicação para uma coisa tão simples? Se fizermos a mesma pergunta a 100 pessoas diferentes de certeza que vamos ter 100 respostas diferentes.
 O amor é um mistério simplificado que complicamos.


Ainda sobre o amor, sempre tive a mania que a felicidade e/ou sofrimento associado é, de certo modo, controlável por nós. Mas e será?
Ninguém em sã consciência quer sofrer... ! O amor para mim tem que ser feito de sorrisos, dizia eu, não aceito menos do que isso...!Só concebo o amor entre duas pessoas que tenham os mesmos gostos e os mesmos hábitos.(Sempre fui cheia de verdades absolutas)

 

Tive um namorado, há muitos muitos anos atrás, num reino bué bué da longe... Que me disse no meio de uma discussão:

Não sabes o que é o amor! Um dia quando o encontrares, vais perceber que é feito de altos e baixos, faz rir mas também chorar... E só o verdadeiro resiste ao tempo.

Bom... A macumba foi tão bem feita que a "profecia" cumpriu-se. Casou comigo, estamos juntos até hoje. Com muitos altos e alguns baixos, e com muitos sorrisos. Pergunto-me muitas vezes  como é que dois seres tão diferentes  "como um dia de calmaria e outro de tempestade" sobrevivem  até hoje?

Continuamos os mesmos, nem ele mudou para me agradar nem eu deixei de ser quem era. As lágrimas também fazem parte da vida... As nossas diferenças é que nos completam,adaptamo-nos e continuamos a ter prazer em estar juntos.


Teremos alguma patologia grave? Ou seremos, somente, naturalmente loucos, como se diz dos poetas e de todos aqueles que se atrevem a amar?

 

(Não existem amores impossiveis ou pessoas que não são para nós ,existe amor)

 

PS:As conversas são como as cerejas...não sei se era isto que queria escrever,mas já está.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:40

web counter free

Usuários online


12 comentários

De Subjectividades a 15.01.2009 às 12:08

Gostei claro que gostei!
Agora se fosse para debater ponto a ponto isso aí iria prolongar-se sem legendas mesmo!

Agora o que gostei e no que acredito mesmo é no "não existem amores impossíveis ou pessoas que não são para nós, existe amor" isso acredito amiga!

Bj

De R.Cheiros a 15.01.2009 às 13:51

É..?
Depois de ler de novo acho que me desviei um bocado do objectivo .

Não sei se iríamos debater ou cada uma expor os seus pontos de vista, no amor e na vida não existe duas opiniões exactamente iguais.

E o amor é lindo.. (não tão perfeito como o querem pintar) mas mesmo assim lindo
Ai, ai acho que estou apaixonada.

De Laura a 15.01.2009 às 14:39

não sei se é real mas fez-me pensar gostei até como classificas o teu casamento

De R.Cheiros a 16.01.2009 às 13:42

Real o que?
Não classifiquei o meu casamento, acho que é igual a outros tantos milhares, nem melhor nem pior.
Existem é maneiras e maneiras de se encarar o casamento.

De Um homem que gosta de te ler a 15.01.2009 às 16:34

E fica
Boas tardes

De R.Cheiros a 16.01.2009 às 13:42

Gracias, gosto de flores!
Boa tarde

De O Gato a 15.01.2009 às 20:58

Bem o teu texto dava muitas horas de conversa .
Mas a verdade é que focas-te mesmo o que é o amor.
Todo o amor tem altos e baixos, isso toda a gente sabe, mas quando há um amor verdadeiro esse vai resistindo ao tempo como dizes. Acho que com o tempo a relação começa a ficar mais madura, há mais cuidado com o outro, mais entre ajuda, não sei bem explicar talvez mais cumplicidade e respeito. Não me entra na cabeça pessoas que estão casadas meses. Mas casaram para quê?
Para assinar um papel, será que não viram que não dava para viverem juntos. Não enamoraram, será que era só sexo e não falavam?
O problema da grande maioria dos casais é o não falarem, é a rotina e se algo está mal é o deixa andar. Será que pensam que a solução cai do céu.

De R.Cheiros a 16.01.2009 às 13:58

Concordo!

Não sei se foquei o amor ou apenas e só como eu o entendo. ..

Tudo, tem altos e baixos a começar pela vida.
No amor é igual.. Um dia paixão acaba, sim porque é inevitável e só sobrevivem os casamentos onde existe amor, a paixão é óptimo mas não segura ninguém porque é efémera depois é como muito bem dizes, a cumplicidade, respeito uma grande dose de amizade, uma grande pachorra e poder de encaxe, um entendimento pelo olhar e amor.

Ninguém casa a pensar que vai acabar passado pouco tempo, digo eu...
Mas sabemos que acontece e quando não se entende é preferível assim do que andar a arrastar uma coisa que não tem remédio

A rotina nem sempre é culpa exclusiva só do casal, a agitação do dia a dia a correria tudo isso junto e nem sempre é fácil de quebrar e as vezes não basta só conversar.
Mas adiante... que como dizes: isto dava conversa para horas.

Beijos
Paula


De semifrio a 16.01.2009 às 13:28

Faço votos para que nunca partas nenhuma lente,mas são antigas o suficiente para um dia estalar,brinco contigo. sei dessa vossa paixão.
E gostei
Beijos
Miguel

De R.Cheiros a 16.01.2009 às 14:01


És muito brincalhão...
As vezes também partem e nem imaginas o estardalhaço

Hum.. Eu sei que sabes

Beijocas
Paula

De marazul a 19.01.2009 às 22:08

Gostei imenso do teu blogue... belos textos :P

De R.Cheiros a 21.01.2009 às 08:19

Gracias,
Volta sempre que te apetecer.
Bom dia

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D