Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 

Ai a minha vida tem sido uma coisa estranha, sem tempo nem energia. Ele é a crise o pessimismo geral desconfiança no futuro. Que nem sei bem como ainda estou lúcida o suficiente para estar aqui a estas horas indecentes a pensar em temas que não são inteligentes nem tem nada de urgente.
A culpa não é minha, não é não. A culpa é de quem me faz perguntas ... E depois fico a pensar no assunto.
Eu não sei como é com vocês, mas eu escrevo aqui no "Cheiros" situações com que me vou deparando ou sobre assuntos que normalmente vem à baila em conversa com amigos.
A verdade verdadinha é que também se fantasia um bocado..mas ninguém tem nada com isso eu escrevo como gosto e o que me dá na real gana. .
 

- Então mulher o que é que se passa contigo?
- Gripe... Estou com uma constipação que nem te conto!
- É só isso?
- O trabalho, é muito e também não esta a correr muito bem!
Momentos depois...
- Estou um pouco cansada e saturada de tudo... Sinto-me presa tenho momentos que me falta o ar.

 

("A vez apetece-me criar uma ilusão para me afastar da monotonia da realidade..a monotonia não se evita ou nem sempre se consegue como se diz por ai...Acho que tenho tudo, uma vida quase "perfeita"  mas por  vezes  entro em crise... Sinto que não acontece nada..., que a minha vida é uma grande monotonia, embora seja bem agitada e sempre acontecem coisas novas.
É tão agradável e tão excitante criar uma ilusão, vive-la, fazer planos entusiastas mas vive-los...

O meu "mais que tudo" diz-me que sou louca quando o envolvo nestas coisas..
Mas é muito bom por momentos esquecer a realidade como é, sim porque sonhar faz falta.. E mesmo sabendo que depois de criada esta grande ilusão temos que voltar a dura realidade.. Mesmo assim o momento em que ela existe e dura é tão excitante e electrizante que acreditem vale a pena.

Outras vezes sinto que preciso de espaço, o meu espaço... Porque não me venham com tretas que amor é viver e respirar o ar do companheiro/a dia após dia após dia... No amor é bom ter saudades ..( o diabo é que o meu não me deixa tê-las) É bom desejar... O que é de mais também pode saturar. Não somos siameses.
Amo o meu "mais que tudo", nem ponho isso em causa. Mas já tive dias que me apeteceu rifa-lo...

Ó pá mas com a sorte que tenho de certeza que a rifa ia saia à casa.")


- Bem me parecia que era mais alguma coisa...
- O meu "mais que tudo" estava aqui e não me sentia muito a vontade para alongar a conversa
- Aposto que quis saber quem é essa amiga de longe com quem tanto falas
- Não, nada disso.. Não faz perguntas. O meu telemóvel não se cala ... Constantemente recebo telefonemas de trabalho, se perguntar cada vez que ele toca não faz outra coisa.
- Há, o teu é daqueles que não faz perguntas e confia?


Fiquei a pensar nisso...ciúmes,confiança, amor de mais ou de menos.

Falar de ciúme é complexo e até polémico..se perguntar a 10 pessoas diferentes aposto que vou ter 10 respostas diferentes do que é o ciúme e como o entendem..uns dizem que o ciúme é prova de amor, outros que é o sal de uma relação, há quem diga que o ciúme é próprio do amor, que quem ama cuida. Outros, porém, afirmam que ele é o veneno do amor. Eu, particularmente, diria que depende da dose!

A falta de ciúme é falta de amor e interesse? Não eu não acredito!
O meu "mais que tudo" não tem ciúmes, ou pelos menos se tem guarda-os bem guardados e nunca os percebi... Bom também não é difícil porque eu sou feia como uma noite de tempestade quando troveja...Sim, eu sei que no dia que deus deu a beleza eu tinha tirado férias.


Amar um ser humano é uma das coisas mais difíceis do mundo, porque no momento em que começamos a sentir e demonstrar amor esse “amor” “pessoa “ torna-se  um “objecto” de posse.

Ai não..?

Então vejamos... O meu namorado/a o meu marido/mulher a meu amante.. E por ai fora é meu...
Tornamo-nos dependentes dele ou dela. Podemos ser pressionados  psicologicamente, sem querer ou saber e ninguém quer ser um escravo. Mas todos os seus relacionamentos humanos acabam salvo raras excepções por serem  uma escravidão.( pode haver quem goste, eu não,não me parece saudavel.)
Ok, posso estar a ser racional de mais e a ver as coisa só por um anglo mas de modo geral os relacionamentos afectivos entre humanos são isto mesmo uma escravidão.


- Estas precisar de umas féria sozinha.
- Sozinha? Estas a gozar há anos que tiramos férias juntos imagina eu sozinha...


É aqui que entra a escravidão nos relacionamentos.
Se eu quiser ir de férias sozinha posso ir que ninguém me pode impedir mas afectivamente e psicologicamente não me sinto preparada para o fazer. Porque? Não claro que não é por ciúmes, mas fico a pensar o que é que o meu "mais que tudo" fica a fazer..

Não é que não confie nele, também não é isso... Mas isto com os homens nunca fiando... É preciso um olho no burro outro no cigano...
Não sou nada ciumenta.  o meu "mais que tudo"  nunca foi nenhum deus, mas até que era bem apanhado e ainda está bem  jeitoso.

 

 Mas para mim o ciúme é uma coisa de homem ou mulher que pensa que o companheiro/a é uma posse territorial deles. E esta sempre com medo que esse território possa ser conquistado pelo inimigo . O homem então só pensa em matar.... Têm que concordar comigo que os gajos matam facilmente, é orgulho de macho ferido claro! Como é óbvio lá decorre um caso ou outra que uma mulher também mata... Mas normalmente os motivos são outros. O macho se fareja que alguém lhe roubou a fêmea e o gajo tungas! Mata o outro, mata a pobre da mulher como se ela não tivesse voto na matéria, e depois em calhando até se mata a ele para completar o serviço!  o ciúme é tramado.


Claro que para estes magníficos actos   há sempre por parte de quem os pratica razões suficientes, honra ou lá o que é. É o que se chama a esperteza saloia. Ser corno é que não!! Ela/e deixou de gostar e ate lhe disse ... Mas esse facto era completamente irrelevante e como tal em nada iria contribuir para a sua felicidade uma vez que o seu único objectivo era salvar  o orgulho ferido, nem que para isso tivesse que mentir, subornar ou quebrar umas poucas de regras de qualquer código ético que se preze.

 

Eu ainda acredito que quando existe amor e respeito, o diálogo aberto e franco é sempre uma boa saída para desenredar a teia do ciúme e desfazer seus nós, que podem ser reais ou frutos de nossa imaginação.

 
Infelizmente muita gente só percebe a inutilidade do ciúme depois de uns valentes tombos e cabeçadas, ossos partidos e dores mentais: Tarde começam a perceber que esta ilusão do ciúme é uma mera perda de tempo e que ninguém é de ninguém isso é uma falsa ilusão.

 

 

 

publicado às 09:41


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds