Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se achares que isto é loucura!!!

por R.Cheiros, em 24.10.08

Se achares que isto é loucura, consideres que não sei o que estou a dizer. Se achares que isso é racional, consideres que exponho as  minhas ideias com clareza. Se pensares, que é um misto de devaneio com lucidez, consideras que mostro, traduzo os meus sentimentos, as minhas emoções, usando este “código” que estás a ler agora. A interpretação destas minhas anotações, dependerá exclusivamente do teu ponto de vista e estado psicológico. No final da leitura, pensarás que sou uma criatura perversa, pensarás que sou uma dissimulada, uma sonhadora, uma perturbada, uma feiticeira, uma... Sou apenas carne e osso, sou um alguém que sente o mundo.

 

   Há noites, em que rolo nos meus lençóis procuro respostas para as questões, que nem eu mesma sei quais são. Há dias, em que o lápis corre pelo papel e logo surgem páginas e páginas de suspiros e encantos, sonhos e pesadelos, delírios e realidades. Há tardes em que percorro as ruas e as montras  não me atraem, procuro alimentar o meu ego.  Quase invisível, eu ando pelas ruas  escuras e fundas, deparo-me com aquele mundo real, que as vezes me  assusta e deixa sem fôlego. Cambaleio rapidamente, como se vivesse uma fuga, uma fuga das minhas reais ideias.

 

   Mesmo que o vento sopre  fortemente, continuo a percorrer a estrada da vida. Folheio  livros, procuro  por sinais de minha existência, vendo a luz ali na esquina. A grande luz, que poderia brotar de minha mente e iluminar todo esse trajecto que ainda me resta. Sempre que tropeço, caio. Sempre que caio, levanto. Sempre que levanto, levo a lição da última queda. Sempre que me deito, durmo. Sempre que durmo, sonho. Sempre que sonho, acordo e levo aquele brilho das minhas utopias.

 

   Olho aquelas fotografias, lembranças de um passado que me fez quem sou e ficou lá trás.. Já não uso as mesmas roupas, o mesmo penteado, o mesmo batom. Mas espero o mesmo homem, com o mesmo desejo,a mesma música, a mesma dança. O fogo que queima na lareira, é o mesmo que queima dentro de mim, sempre queimou. Adormeço no sofá antigo, com almofadas de tecido felpudo, sinto o mesmo perfume, ouço a mesma voz, mas muitas vezes permaneço sozinha mesmo acompanhada

 

    Nunca choro. Chorar é admitir fraqueza. Prefiro sorrir, ainda que por vezes não existam motivos lógicos para isso. Costumo rir à toa, costumo recepcionar fantasmas na morada de minha alma ou de meu corpo. Frequentemente, abro as janelas de minha casa, para que o sol da manhã invada e leve um pouco destas minhas loucuras embora. Sempre funciona. Então, sento-me na  minha cadeira preferida, apanho meu diário, que na verdade, não seria bem um diário, mas sim, um caderno para dias lastimáveis, algo parece estar preso em minha garganta e não tenho a possibilidade de falar, por isso começo a escrever. A angústia vai embora, isso sempre funciona.

 

    Respiro profundamente, abro os braços e tento voar. Volto para a minha antiga infância, para aqueles velhos tempos em que matar o tempo, não era pecado.

 

    Vivo nesta nuance, entre eu e eu mesma , entre o sonho, que também os tenho e a realidade.. Vivo o  meu caminho intensamente, consigo fintar a monotonia, Espero-te com o meu melhor sorriso e amo-te incondicionalmente nunca tive duvidas.. para suprir a ausência de mim. Algumas vezes  finjo ser outra, mas para o meu interior só tu sabes o caminho.

 

 

Se achares que isto é loucura!!!

Hoje era o que te diria. 

(Para ti… que não sabes que este blogue existe.)

 

PS: Vai mudar a hora e deve ser isso que me está a afectar os neurónios

 

 

publicado às 10:14


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds